sábado, 7 de julho de 2018

Não foi dessa vez: Geração belga brilha, desmancha Brasil de Tite e frustra o sonho do hexa


Motivo de intermináveis discussões entre brasileiros nos últimos anos, a Bélgica e sua “ótima geração” encerraram o sonho do hexacampeonato na Rússia nesta sexta-feira (6), em Kazan. Com gols de Fernandinho, contra, e De Bruyne, todos no primeiro tempo, o Brasil foi derrotado por 2 a 1 e deixou a Copa do Mundo de 2018 bem antes que sua torcida imaginava. Renato Augusto foi o responsável pelo gol de consolação brasileiro.
Em dia de Neymar muito abaixo do normal e grande atuação de Lukaku, a Bélgica desmanchou a defesa brasileira, ressentida da ausência de Casemiro e com Fernandinho, quatro anos depois, em mais uma atuação trágica. O Brasil só encontrou esperança com Renato Augusto, que diminuiu o marcador, mas a semifinal contra a França ficará a cargo dos belgas em uma Copa que agora é só de seleções europeias.
O melhor: Lukaku
O centroavante belga que fala português foi verdadeiro trator em Kazan. Lukaku, quase um ponta direita na proposta de jogo de seu time, travou um duelo firme com Miranda, que se desdobrou em disputas contra ele. Lukaku, porém, prendeu bolas, deu arrancadas e praticamente matou o confronto com a assistência para De Bruyne marcar.
O pior: Fernandinho
Novidade na escalação do Brasil por suspensão de Casemiro, o substituto teve mais uma noite para esquecer em Mundiais. O volante adorado por Pep Guardiola anotou o gol contra que desmanchou o time brasileiro, não conseguiu conter Lukaku no segundo gol e a partir disso somou decisões erradas, ansioso por uma redenção dentro do próprio jogo. Foi o segundo contra do Brasil em Copas, depois do feito por Marcelo, contra a Croácia, em 2014. 
Roberto Martínez libera trio ofensivo e desmancha o Brasil com formação inédita
O treinador espanhol que comanda a Bélgica fez mudanças profundas depois de quase ser eliminado pelo Japão nas oitavas de final. O sistema com linha de cinco na defesa foi alterado para quatro defensores, com Vertonhen, zagueiro de origem, na lateral esquerda. A área foi bem protegida por Witsel e ainda Fellaini e Chadli, novidades. O ataque ficou a cargo de De Bruyne, como armador a explorar os espaços de Fernandinho, e Hazard e Lukaku como atacantes.
Início bom do Brasil dura pouco e vale nada após gol da Bélgica
Os primeiros minutos do jogo em Kazan foram de perigo para o Brasil, que teve oportunidades claras com Thiago Silva, que acertou a trave, e Paulinho, que não conseguiu arrematar a gol em disputa na área. Durou pouco o domínio: com 13min, Fernandinho colocou contra as próprias redes em raspada de cabeça e inaugurou o marcador a favor da Bélgica.
UOL 


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial