segunda-feira, 25 de junho de 2018

Há 15 ano no poder, Erdogan é reeleito presidente da Turquia

Recep Tayyip Erdogan, que está há 15 anos no poder, foi reeleito em primeiro turno presidente na Turquia na eleição presidencial deste domingo (24). Ele ficará mais cinco anos no poder.
A apuração ainda está em andamento. Com 99% dos votos contados na eleição presidencial, Erdogan tinha 52,5% dos votos, de acordo com a agência oficial turca Anadolu. Os adversários inclusive já aceitaram a derrota.
Pouco depois da vitória, Erdogan, o líder mais popular da história recente da Turquia, afirmou que irá começar a trabalhar imediatamente para cumprir as promessas de campanha.
"É hora de focar no futuro do nosso país, deixando de lado as tensões do período de eleições" , disse em pronunciamento.
Erdogan também disse que irá continuar "deixando terras sírias livres, para que 'nossos convidados' possam ir para a casa de forma segura".

Mais poderes

O resultado das eleições é especialmente importante para a Turquia, já que o vencedor tem agora poderes reforçados após o referendo de abril de 2017 convocado pelo próprio após o fracassado golpe de julho de 2016.
Neste novo sistema, ainda não plenamente em vigor, desaparecerá a figura do primeiro-ministro e o presidente concentrará todo o poder em suas mãos, sem o controle apenas do parlamento.

Eleições parlamentares

Também com quase 99% dos votos apurados, o partido de Erdogan garantiu maioria no parlamento. Sua coligação, chamada de Aliança do Povo, aparece com 53,6% dos votos, seguida pela oposição, Aliança da Nação, com 34,1% dos votos.
O partido pró-curdo garantiu os 10% dos votos, que garantem a representatividade no parlamento turco.

Repercussão

Segundo fontes presidenciais, o primeiro-ministro albanês, Edi Rama, parabenizou o presidente pelo telefone.
Em outro telefonema, o presidente palestino, Mahmoud Abbas, também felicitou Erdogan pelo "sucesso do processo democrático turco e sua vitória nas eleições presidenciais", segundo informou a agência oficial de notícias palestina (WAFA).
Abbas disse: "Desejo à Turquia mais sucesso, progresso e estabilidade".
As felicitações também vieram do ministro das Relações Exteriores da Grécia, Nikolaos Kotzias, e do emir do Qatar, Sheikh Tamim bin Hamad Al Thani.
Casado e pai de quatro filhos, Erdogan tem 64 anos. Nasceu em Kasimpasa, bairro operário de Istambul, e faz alarde com frequência de suas origens humildes. Educado em um colégio religioso, ex-vendedor ambulante, "Tayyip" tinha o sonho de se tornar jogador de futebol antes de se lançar à política pelo movimento islamista.
Foi eleito prefeito de Istambul em 1994. Em 1998, seu último ano na prefeitura, foi condenado a uma pena de prisão por ter recitado um poema religioso, episódio que serviu para reforçar sua imagem.
Entre 2002 e 2004, Ancara adotou reformas políticas e econômicas, aprovou a abolição da pena de morte e autorização a língua curda na televisão pública. Ainda assim, as negociações para adesão à União Europeia ficam estagnadas por anos.
Em 10 de agosto de 2014, Erdogan é eleito chefe de Estado no primeiro turno das presidenciais, que, pela primeira vez, são realizadas por voto universal direto.
Nas legislativas de 7 de junho de 2015, o AKP fica no topo, mas sem maioria absoluta no Parlamento (pela primeira vez). O presidente Erdogan convoca novas eleições em 1º de novembro, que o AKP vence de forma maciça.
Em abril de 2017, venceu por uma margem estreita um referendo sobre uma reforma constitucional para reforçar consideravelmente os seus poderes.
G1 


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial