terça-feira, 8 de maio de 2018

Alguns motivos pelos quais os idosos devem fazer Pilates

 Você já deve ter ouvido falar que o Pilates é benéfico para idosos. Mas, você sabe o porquê? Após os 65 anos, devido ao processo do envelhecimento e alguns fatores como sobrepeso, sedentarismo e doenças crônicas, é comum surgirem dificuldades de mobilidade, flacidez muscular, perda de massa muscular, perda de densidade óssea, perda do equilíbrio e da coordenação.

“Todos esses fatores colaboram para o aumento do risco de lesões e prejudicam a autonomia dos idosos. Como consequência, há uma queda importante da qualidade de vida. Por isso, a prática de atividades físicas é recomendada como forma de melhorar a mobilidade dos idosos, assim como para minimizar os efeitos da idade na musculatura e na estrutura óssea”, explica a fisioterapeuta e especialista em Pilates, Walkiria Brunetti.
Com a ajuda da fisioterapeuta, elencamos 9 razões pelas quais os idosos podem e devem fazer Pilates par ajudar a combater os efeitos do envelhecimento na saúde musculoesquelética. Veja abaixo:
1. Baixo impacto: O Pilates é uma atividade de baixo impacto e isso é importante para os idosos, para não piorar ou para não desencadear desgaste nas articulações. Também é ideal para os sedentários, pois as aulas e movimentos podem ser personalizados de acordo com o condicionamento de cada um. Então, é possível começar devagar e aumentar a intensidade de acordo com a característica de cada um.
2. Combate a osteoporose: 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens irá desenvolver a osteoporose, perda da massa óssea que pode levar a fraturas e à incapacidade. O Pilates promove a remodelagem óssea por meio de exercícios de tensão e tração. Além disso, ao fortalecer os músculos, protege os ossos de possíveis fraturas.
3. Trata a incontinência urinária: Entre os benefícios mais surpreendentes do Pilates está o tratamento de incontinência urinária. Segundo um estudo publicado pela revista médica BMC Women’s Health, a prática de exercícios de Pilates modificados colabora para a fortalecer a musculatura pélvica e diminuir os efeitos da incontinência urinária em mulheres. Lembrando que estes benefícios dependem de adequações, conforme mostrou o estudo.
4. Reduz o risco de quedas – No processo do envelhecimento há perda importante do equilíbrio e da coordenação, e isso aumenta o risco de quedas. O Pilates melhora tanto o equilíbrio quanto a coordenação. Portanto, reduz o risco do idoso cair e de se machucar. Estudo realizado pelo George Institute for International Health, na Austrália, apontou que a prática de Pilates por idosos reduz o risco de quedas em até 17%.
5. Melhora a flexibilidade: A flexibilidade é algo que se perde ao longo do tempo. Aos 40 anos já pode ser mais difícil calçar um sapato com fivela, por exemplo. Aos 65, isso pode ser impossível. O Pilates melhora a flexibilidade, pois aumenta a amplitude dos movimentos. Com isso, traz mais independência para o idoso.
6. Melhora a postura: Os idosos costumam desenvolver a cifose (corcunda), pois acabam se curvando mais para a frente. Isso pode acontecer devido a um vício de postura ou quando a osteoporose atinge a coluna. O Pilates melhora muito a postura e traz consciência corporal.
7. Melhora dores na coluna: Ao trabalhar a postura e realizar o fortalecimento muscular do CORE (músculos que sustentam e estabilizam a coluna), o Pilates ajuda a combater as dores nas costas, típicas da terceira idade.
8. Pode ser usado na reabilitação: O Pilates também pode ser usado para reabilitação de acidentes, lesões ou ainda de condições como um acidente vascular cerebral (AVC). Normalmente, é recomendado após a fisioterapia como fator preventivo e para melhorar a qualidade de vida. Um estudo mostrou que o Pilates na reabilitação ajuda a combater a dor e a incapacidade.
9. Combate a depressão e a solidão: É muito comum o idoso desenvolver depressão relacionada ao isolamento social, uma vez que nessa fase da vida os filhos costumam sair de casa, há aposentadoria e, em muitos casos, viuvez. Assim, as aulas de Pilates também podem ajudar a combater a depressão por meio do aumento do convívio social. Além disso, a atividade física promove o bem-estar devido à liberação de neurotransmissores como a serotonina durante a prática.
“A mobilidade é o que nos dá independência e é um fator de extrema importância para a autoestima e para a saúde mental dos idosos. É importante prevenir os efeitos da idade e tratar aqueles que aparecem para que a qualidade de vida se mantenha alta”, finaliza Walkiria.


 NOTÍCIAS AO MINUTO
POSTADO POR FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTACIM.BR


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial