terça-feira, 10 de abril de 2018

Torres diz que Ricardo Coutinho perdeu a confiança no PDT de Lígia Feliciano

O governador Ricardo Coutinho (PSB) não tem mais confiança no PDT da vice-governadora Lígia Feliciano. A revelação foi feita pelo secretário de Comunicação Institucional da Paraíba, Luís Tôrres, em entrevista de rádio nesta segunda-feira (9), na Arapuan. Luís Tôrres disse que o PDT se distanciou durante o processo de decisão pelo qual Ricardo Coutinho passou, sobre sua permanência no mandato ou candidatura ao Senado, e afirmou que não houve, para Ricardo, um nível de segurança real no PDT, que desse tranquilidade para ele renunciar.
“As desconfianças não nascem, não são inspiradas, não são geradas do nada, às vezes ausências geram desconfianças, às vezes a falta da palavra gera desconfiança e às vezes ações que chegam e chegaram geram essa desconfiança”, disse Luís Tôrres. 
O secretário revelou que o PDT, inclusive, começou um processo paralelo de montagem de equipe para o governo.  Nas secretarias e nos órgãos do Estado, havia pessoas comentando abertamente as expectativas de assumirem nos cargos, com a saída de Ricardo.   
Para Luís Tôrres, o PDT da vice-governadora Lígia Feliciano não foi sincero no apoio e na defesa do Governo. “A defesa que vai além, a reafirmação de projetos como o nome de João Azevedo, onde estava o PDT na noite de quinta-feira, horas antes do anúncio do fico de Ricardo, no evento do PSB no Clube Cabo Branco?”, questionou o secretário. 
O secretário afirmou que o governador e o pré-candidato João Azevedo é que conduzem o processo, mas na sua opinião pessoal, a confiança foi quebrada. "Acho difícil que isso cole nesse espaço de tempo, em função dessa quebra de confiança", opinou. 
Luís Tôrres considerou que o governador agiu com abnegação ao decidir permanecer no cargo. O secretário explicou que as pessoas estavam temerosas em relação ao day after, ou seja, o dia seguinte à renúncia de Ricardo. “Houve um alívio”, frisou o secretário, ressaltando que o governador assegurou a estabilidade da administração estadual e continuidade das ações, obras e serviços na Paraíba.  


Após a decisão pessoal tomada pelo governador Ricardo Coutinho de ficar no Governo, antes da divulgação ocorrida na sexta-feira (6), houve "sinais" intencionais emitidos pelo Governo, para "confundir" os adversários e descobrir os verdadeiros aliados. Mas ele disse que aluns sinais que foram dados foram reais. "O próprio governador não sabia, em algum momento, tudo era chute, adivinhação e aposta. Mais recentemente para cá é que houve uma consolidação, a coisa foi se cristalizando, e ele tomou a decisão", disse, referindo-se à permanência de Ricardo. "Isso difere da mentalidade nacional da política", completou. (com clikpb) postado por fernando coutinho - naçãoruralista.com.br


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial