sexta-feira, 16 de março de 2018

'Parecia que procurava alguém para bater', diz testemunha de atropelamento na Orla

Outros pedestres que estavam nas imediações de onde duas mulheres foram atropeladas na manhã desta quinta-feira (15), afirmaram que o motorista, Uilver Iurik, de 23 anos, responsável pelo acidente "parecia que estava procurando alguém para bater". 
No Hospital de Emergência e Trauma, para onde todos foram encaminhados - as duas mulheres e o motorista que também se machucou depois de capotar o carro logo após o atropelamento - outros pedestres deram detalhes do acidente. 
Sem querer se identificar, eles disseram que o Uilver foi e voltou na avenida paralela à Cabo Branco (que é sentido duplo até as 08h da manhã devido à interdição da principal para práticas esportivas de pedestres, ciclistas e afins) diversas vezes e que entrou na Cabo Branco em alta velocidade, fazendo 'piruetas'. 
As mulheres seguem internadas no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Cristina Rocha, de 62 anos, levou uma forte pancada na cabeça e há suspeitas de fratura no fêmur, e Isabel Cristina Amorim de Lucena, de 44 anos, é funcionária da UFPB e sofreu apenas escoriações. 
O filho de Cristina, Ruy Rocha, pediu uma maior fiscalização da lei seca, apontando que o motorista estava embriagado. 
O comandante do BPTRAN, Coronel Jucier falou que o trecho onde aconteceu o acidente é de responsabilidade do batalhão que ele comanda, no entanto, existem várias vias paralelas que dificultam a fiscalização.

Jucifer ressaltou que a ação policial prendeu o acusado logo em seguida e que todas as medidas de atribuição da PM estão sendo feitas. O acusado, que também foi encaminhado para o hospital, já foi liberado e encaminhado para a Central de Flagrantes.

Uilver se recusou a fazer o teste do etilômetro.


Marília Domingues/ Hilomar Araújo


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial