JUÍZES INDULTAM OS DELINQUENTES POLÍTICOS . FAZEM DE TUDO PARA FICAR PARECIDOS COM ELES
O STF glamoriza o crime, festeja a criminalidade, endeusa os criminosos e quebra o monopólio de punir do Estado. E no lugar das togas, põe mortalhas para vestir seus ministros.
Vestais da justiça brasileira trocam de roupa para seguir os figurinos da moda. Ninguém mais quer parecer com aquele juiz antigo, recatado, sóbrio, que não bebia nem dançava nem fumava em público para não perder a autoridade sobre os excessos de seus jurisdicionados, nem criar intimidades com os que poderiam sentar à sua frente no dia seguinte como parte de um conflito a ser dirimido por ele.
Morreu essa velha dama da moralidade dos jazigos e emergiu um novo padrão de conduta, baseado numa permissividade assustadora que a tudo pode, não conforme o que diz a lei, mas conforme a interpretação que eles próprios juízes dão à lei. É outra forma de morte judiciária anunciada.
Velório festivo esse do judiciário brasileiro ! Com direito a transmissão ao vivo pela televisão, aplicativo que mostra a agonia de autoridades contaminadas pelo vírus letal da indecência que virou epidemia no Brasil mas ainda não infectou , felizmente, a maior parte da população.
Há telespectadores soltando bombas e sambando em volta desses caixões seletos de membros da mais alta magistratura brasileira, só porque eles levam também à sepultura o dever de punir do Estado-Juiz, alforriando todos os poderosos delinquentes que estão alcançados por sentença penais condenatórias. É farra das grandes nos salões nobres do inferno.
Motivos não faltam para o lulopetismo comemorar diante desse cortejo fúnebre que envolve a morte no que de mais nobre e burguês existe nas estruturas de poder no país, a SUPREMA CORTE, lugar de luxo e suntuosidades, palácio dos luminares do saber e das divindades da Justiça, para
onde tem ido a maioria dos que não possuem virtudes compatíveis, escolhidos por atributos desprezíveis.
A esquerda brasileira quer ver o STF na sarjeta, primeiro porque o tem na conta de uma instituição elitista à serviço do capital e das classes dominantes ( o que no deixa de ser verdade ). Segundo porque precisa se vingar dos “covardes” que para lá mandou. E depois porque precisa alforriar as organizações criminosas e garantir o indulto ao maior líder dos bandos, Lula, todos sob as garras de Moro e dos três desembargadores do TRF-4, o quarteto judiciário que sobrevive à falência da Corte Máxima e virou suprema Instância da moralidade institucional no país.
Mas, o lulopetismo não precisa fazer muito para obter a desmoralização e a destruição do STF. Basta deixar que os ministros ajam sem levar em conta o que a sociedade pensa e como os ver, fazendo zombaria de uns contra os outros e todos atestando um óbito colegiado, sem que encontrem juntos uma saída ou remédio antes da morte por suicídio em grupo.
A Constituição Federal, a tábua de todos os direitos do cidadão e do Estado, a biblia norteadora de todas as condutas de uma sociedade em gozo do Estado de Direito, carta superior da vida democrática, agoniza também, neste instante, ao lado do esquife daquelas supostas sentinelas que deveriam lhe prestar guarda incondicional, e não elas mesmas permitirem o seu ultraje. É um banquete macabro de entregas e cedição em elevado grau de pecado mortal e promiscuidade a céu aberto.
Ou esses ministros do Supremo estão estonteados pelos holofotes que jogam luzes incandescentes sobre eles; ou estão comprometidos e chantageados pelos grupos de pressão, políticos e econômicos; ou querem sair dessa crise que lhes caiu no colo fugindo e escapando do dever de julgar e respeitar a lei. Ou será que querem atear mais fogo nessa fogueira explosiva que vomita labaredas por todo o território nacional ? Mas não interessa muito o que possa ser a grande causa isolada ou composta : o que é para não ser feito, eles já estão fazendo. Fazendo e morrendo, antes mesmo que o lulopetismo, a covardia e o medo possam queimá-los vivos.POSTADO POR FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTA.COM.BR