segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Brasil piora em ranking de corrupção; corrida faz alerta

Atividade é promovida pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e será dividida em três categorias
0
   
COMPARTILHE
Um estudo realizado pela Transparência Internacional mostra que o Brasil caiu 17 posições e ficou em 96º lugar no ranking dos países com menos casos de corrupção em 2017. O estudo mundial avaliou a percepção da corrupção no setor público de 180 países. Para chamar a atenção da população para o grave problema e alertar sobre os desvios de recursos públicos, será realizada em João Pessoa, no dia 18 de março, a 1ª edição da Corrida Contra a Corrupção.
A largada será às 6h30, partindo do Busto de Tamandaré. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através do site https://www.eventbrite.com.br, ao valor de R$ 30,00 a R$ 80,00. A atividade é promovida pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) e será dividida em três categorias: Corrida kids (para crianças), Caminhada 2 km (para famílias, crianças e idosos) e Corrida 5 km e 10 km (profissionais, amadores e portadores de necessidades especiais).
De acordo com a Transparência Internacional, quanto melhor a posição no ranking, menos o país é considerado corrupto. A 96ª colocação é o pior resultado do Brasil nos últimos cinco anos, segundo a Transparência Internacional. Em 2016, o Brasil ficou em 79º.
O Brasil ficou atrás de nações como Arábia Saudita, Burkina Faso, Sri Lanka, Ruanda e Timor-Leste, e está empatado com Colômbia, Indonésia, Panamá, Peru, Tailândia e Zâmbia. Lideram o ranking de 2017 como os países considerados menos corruptos Nova Zelândia, Dinamarca, Finlândia e Noruega. No outro extremo, as piores colocações são de Afeganistão, Síria, Sudão do Sul e Somália.
A corrupção no Brasil é responsável pelo desvio de 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Na Paraíba, esse percentual chega a R$ 1,3 bilhão se comparado com o PIB total do Estado que é de R$ 56,1 bilhões.POSTADO POR FERNANDO COUTINHO


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial