quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

A verdade por trás do beijo lésbico no BBB (e para além do programa)

_Ah, amiga, eu tô muito carente!
_Ai, meu Deus!
_Quer ficar comigo?
_Quero! Ah, mentira, não quero não.
_Quer ficar comigo?
_Quero não. Eu quero um negão. Eu gosto.
_Eu pego um bronzeado amanhã o dia inteiro, fico bem negona.
Bissexualidade? “Heteroflexibilidade”? Carência afetiva? Tesão de momento? O diálogo acima aconteceu, há quase duas semanas, puxado por Jéssica.
A personal trainer do “Big Brother Brasil”, que vive uma amizade pra lá de colorida com Lucas, também é muito próxima de Paula, a ex-jogadora de vôlei, para quem vira e mexe arrasta uma asinha. E as investidas à morena, que geralmente acontecem durante as festas, estão rendendo.
Na madrugada do sábado (24), enquanto tomavam banho juntas, as amigas protagonizaram um beijo no chuveiro. O detalhe é que outro brother, Breno, também estava no box. Depois do momento hot entre as duas, rolou uma bitoca tripla com o loiro.
Nem toda mulher que beija outra é lésbica ou bissexual
Beijar, transar e até se envolver emocionalmente com outra não “transforma” nenhuma mulher em lésbica ou bissexual. Mais relevante que a experiência é a forma como cada uma lida com os sentimentos acerca da própria sexualidade. Ficou com a amiga e não se sente lésbica nem bissexual? Então não é. Simples assim.
Fantasia x realidade
Dizer que estar entre duas mulheres faz parte do imaginário sexual de muitos homens é chover no molhado, não é nenhuma novidade. Mas é importante entender os diferentes contextos dessa possibilidade.
Na casa do “BBB”, nessa situação específica e em tantas outras edições em que rolaram beijos triplos, sempre fica explícita a vontade e o consentimento mútuo. Aqui fora é fundamental entender que, diferentemente do reality, o número de pessoas em relações estáveis em que há amor, compromisso e ciúme é infinitamente maior.
Um casal de mulheres se beijando na balada, na grande maioria das vezes, é só um casal manifestando carinho. Não é um convite para um ménage. Assim como um casal de homens se beijando não sinaliza a uma mulher que esse seja um convite de sexo a três. Casais, sejam homo ou heterossexuais, que têm interesse em que outra (s) pessoa (s) participe (m) de um momento ou da relação, deixam isso muito claro por meio de olhares e convites verbais. Na dúvida, a regra de ouro é não ser inconveniente.
Para além dos muros do “BBB”
Jéssica tem 26 anos e Paula, 29. São adultas, inteligentes e estão administrando bem as relações na casa. Paula foi emparedada apenas uma vez, e Jéssica, nenhuma, em quatro semanas de programa.
Não houve repercussão negativa do público ao beijo lésbico nem ao selinho triplo. Meu sonho de princesa é que essa tolerância não fosse seletiva e limitada às duas gatas do reality, mas se estendesse a todas as pessoas que manifestam com beijos, mãos entrelaçadas e abraços carinhosos o amor genuíno que sentem.

UOL 
Blog da Morango


← ANTERIOR PROXIMA → INICIO

0 Comments:

Postar um comentário

Editorial