quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Twitter diz por que ameaça de Trump à Coreia do Norte ficou no ar: 'interesse público'

O Twitter afirmou que resolveu manter no ar as mensagens agressivas do presidente norte-americano Donald Trump direcionadas à Coreia do Norte porque, apesar de violarem suas regras, são de interesse público. O país asiático chegou a interpretá-las como declaração de guerra.
Donald Trump usou o Twitter para declarar que Kim Jong Un e seu chanceler “não estarão muito tempo por aí”.
Apesar de as declarações de Trump terem sido feitas no sábado (23), apenas nesta segunda-feira (26) a rede social explicou por que não tirou a mensagem do ar, já que o conteúdo, por se tratar de uma ameaça, teria o potencial de violar as regras do site.
Uma das violações previstas pelo Twitter é “comportamento abusivo e ameaças violentas”:
“Você não pode fazer ameaças ou promover violência, inclusive ameaças ou promoção de terrorismo”, explica o Twitter.
Contas que façam isso, diz a empresa, “poderão estar sujeitas a bloqueio temporário e/ou suspensão permanente”.
O Twitter disse que não trata Trump de uma forma especial nem com leniência. Mas que leva em consideração a relevância pública das declarações dele, enquanto presidente dos EUA.
“Nós mantemos todas as contas sob as mesmas regras, e consideramos um número de fatores quando analisamos se um tuíte viola nossas regras. Entre essas considerações, está o ‘valor de notícia’ e se um tuíte tem interesse público”, informou a rede social.
A empresa, no entanto, admite que não revela essa conduta em seus termos:
“Isso tem sido uma política adotada internamente e, em breve, atualizaremos nossas regras públicas para refletir isso. Precisamos fazer melhor com isso e iremos fazer. O Twitter é comprometido com a transparência e manter as pessoas informadas sobre o que está acontecendo no mundo.”

Entenda o caso

Em seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, Trump afirmou que vai "destruir totalmente" a Coreia do Norte, caso não tenha outra escolha.
O chanceler norte-coreano Ri Yong Ho respondeu em fala na Assembleia Geral da ONU no sábado (23). Atacou duramente o presidente norte-americano. Chamou-o de "um transtornado mental que está repleto de megalomania". As ameaças dos EUA, disse, fazem com que "a visita de nossos foguetes seja inevitável".
Ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, conversou com jornalistas em Nova York, nos Estados Unidos  (Foto: Shannon Stapleton/ Reuters)Ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, conversou com jornalistas em Nova York, nos Estados Unidos  (Foto: Shannon Stapleton/ Reuters)Ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, conversou com jornalistas em Nova York, nos Estados Unidos (Foto: Shannon Stapleton/ Reuters)
Trump respondeu, mas recorreu ao Twitter para isso:

"Acabei de ouvir o ministro das Relações Exteriores da Coréia do Norte falar nas Nações Unidas. Se ele faz eco dos pensamentos do homenzinho do foguete (referindo-se a Kim Jong Un), eles não estarão por aí por muito mais tempo!”

Ri Yong Ho rebateu. Disse que Pyongyang se reserva ao direito de tomar medidas, como abater bombardeiros norte-americanos, mesmo que não estejam sobrevoando a Coreia do Norte.

"O mundo inteiro deve claramente se lembrar que foram os Estados Unidos que primeiro declararam guerra ao nosso país", disse Ri a repórteres em Nova York, segundo a agência Reuters.

"Considerando que os Estados Unidos declararam guerra ao nosso país, temos todo o direito de adotar contramedidas, incluindo o direito de derrubar bombardeiros estratégicos dos Estados Unidos, mesmo que eles não estejam dentro do espaço aéreo do nosso país", ameaçou.
G1 

Nenhum comentário:
Write comentários

Disqus Shortname

Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter