segunda-feira, 23 de abril de 2018

Sem Lula, votos nulos e brancos 'ganham eleição', mostra Datafolha

Sem Lula, votos nulos e brancos 'ganham eleição', mostra Datafolha
Sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os votos nulos e em branco ‘lideram’, de acordo com a pesquisa Datafolha, a primeira feita após a prisão do petista.

Mesmo com Lula preso por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, a cúpula do partido já disse que pretende manter sua candidatura. Apesar de a Lei da Ficha Limpa tornar inelegíveis candidatos condenados em tribunal colegiado, caso do ex-presidente, a legislação permite que ele peça o registro de candidatura e que o partido faça campanha até a Justiça Eleitoral decidir sobre o caso.Nos seis cenários do levantamento sem o líder petista, a porcentagem de votos brancos e nulos varia entre 23% e 24%, ou seja, maior do que a intenção de voto no candidato em primeiro lugar. No cenário com Lula, os votos brancos e nulos variam de 13% a 14%. Entre os eleitores de Lula, um terço prefere votar em branco ou anular o voto, em vez de escolher outro nome, segundo a pesquisa.
Fernando Haddad e Jaques Wagner, cotados para substituir Lula como candidato do Partido dos Trabalhadores não atingem mais de 2% das intenções de voto na pesquisa. Guilherme Boulos e Manuela D’Ávila, pré-candidatos de esquerda, também não vão além.
A pré-candidata da Rede, Marina Silva, herdaria o maior percentual de votos de Lula (20%), em uma eleição sem o líder petista, seguida de Ciro Gomes, do PDT (15%). O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) ganharia 5% dos votos de Lula, Geraldo Alckmin (PSDB) 5%, Joaquim Barbosa (5%), Ávaro Dias (Podemos) 3%.
Apenas 3% dos eleitores de Lula disseram que votariam em Fernando Haddad (PT) e em Manuela D’ Ávila (PCdoB). Segundo o mesmo levantamento, porém, dois de cada três eleitores do ex-presidente dizem que votariam em um candidato indicado por ele. Votariam em outros 7%, em branco ou nulo, 32%. Não souberam responder 3%.
A pesquisa Datafolha foi realizada entre os dias 11 e 13 de abril, em 227 municípios. Foram feitas 4.194 entrevistas A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Yahoo Notícias


Campeã do 'BBB 18', Gleici chega a Rio Branco e é recebida por fãs

Campeã do 'BBB 18', Gleici chega a Rio Branco e é recebida por fãs
A ex-BBB Gleici Damasceno, ganhadora do prêmio de R$ 1,5 milhão da edição 2018 do programa, retornou ao Acre na noite deste sábado (21) e foi cercada por fãs ao desembarcar junto do namorado, o também ex-BBB Wagner, no Aeroporto Plácido de Castro, em Rio Branco. 
No Instagram, Gleici publicou fotos com uma mala e escreveu “partiu Acre”. Em outra imagem, em que aparece com amigos, ela agradeceu o carinho de todos e disse “estou chegando Acre”.
ex-BBB Gleici Damasceno, ganhadora do prêmio de R$ 1,5 milhão da edição 2018 do programa, retornou ao Acre na noite deste sábado (21) e foi cercada por fãs ao desembarcar junto do namorado, o também ex-BBB Wagner, no Aeroporto Plácido de Castro, em Rio Branco. 
O voo da sister, que desceu da aeronave enrolada na bandeira do estado, aterrissou por volta de 22h30 (0h30 de domingo, no horário de Brasília).
No Instagram, Gleici publicou fotos com uma mala e escreveu “partiu Acre”. Em outra imagem, em que aparece com amigos, ela agradeceu o carinho de todos e disse “estou chegando Acre”.

G1
Foto: Cassius Afonso/Rede Amazônica Acre


RC autoriza implantação de adutora levará água para 1.800 moradores em Areia

RC autoriza implantação de adutora levará água para 1.800 moradores em Areia
O governador Ricardo Coutinho assinou, neste sábado (21), a ordem de serviço autorizando a implantação da adutora do Distrito de Mata Limpa, em Areia. Cerca de 1.800 habitantes serão beneficiados com o sistema de abastecimento de água que representa mais de R$ 1,3 milhão de investimento. Prefeitos, deputados estaduais, auxiliares do Governo e lideranças da região participaram da solenidade.

A obra compreende uma Estação Elevatória de água tratada com vazão de 24 m³ por hora; adutora em tubos de ferro e PVC Vinilfer; reservatório elevado com capacidade de 200 m³; rede de distribuição com extensão total de 1.080 metros e execução de 450 ligações domiciliares.
 "Essa população não tem água tratada nas torneiras e estamos aqui para compartilhar a alegria deste Governo em começar a realizar o sonho desses cidadãos. Em breve, Mata Limpa vai ter abastecimento de água com qualidade diariamente", pontuou o secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, Deusdete Queiroga.Na ocasião, Ricardo Coutinho enfatizou que cada obra hídrica que se inicia representa o esforço do Governo do Estado em levar mais qualidade de vida para a população paraibana. "É um prazer enorme voltar a esta cidade para trazer mais essa boa notícia para o povo. Vamos fazer a adutora de Mata Limpa, um desejo antigo da população e os recursos já estão garantidos. Investiremos R$ 1,3 milhão na execução da obra e o quanto antes voltarei aqui para tomar banho na água que sairá das torneiras", garantiu.
O deputado estadual Tião Gomes relembrou os momentos de luta para que a adutora tivesse início e ressaltou a satisfação de participar de um momento tão significativo para as famílias de Mata Limpa. "Lutamos muito para que esta adutora saísse do papel e ver a ordem de serviço sendo assinada é uma grande felicidade. Em pouco tempo quero voltar aqui para dizer que, após 35 anos de reivindicação, a adutora de Mata Limpa se concretizou", afirmou.
Para dona Maria Albina, de 75 anos, a adutora significa vida nova para os moradores de Mata Limpa que sofrem diariamente com a falta de água. "Hoje temos que nos virar com a água sem qualidade das cisternas. É uma água barrenta, com gosto de ferrugem, muito ruim. Quando essa obra ficar pronta vai ser uma bênção, porque finalmente teremos água nas torneiras", disse.
A professora Glória Felizardo também é moradora do Distrito de Mata Limpa e, assim como dona Maria Albina, também está muito feliz em ver o início da adutora. "Esta é uma obra super esperada pelo povo de Mata Limpa que merece ter água de qualidade nas torneiras. Agradeço ao Governo por olhar por nós e resolver construir essa adutora tão importante para esta área", falou. 

Secom


VIOLÊNCIA: homem é assassinado a facadas dentro da própria casa no Grotão, em JP

VIOLÊNCIA: homem é assassinado a facadas dentro da própria casa no Grotão, em JP
Moradores da Comunidade 1º de abril, no bairro do Grotão, acordaram com uma triste cena de violência na manhã deste domingo (22). Um homem foi assassinado dentro da própria casa.

Segundo a polícia, a vítima vestia apenas cueca e apresentava diversas marcas de objeto perfurante pelo corpo. A cena do crime apresentava muito sangue.O homem foi identificado como sendo Péricles Antônio. De acordo com a perícia, a vítima teria sido morta a facadas na sala de sua casa. A arma supostamente utilizada no crime foi encontrada no local e apreendida pela polícia.
A polícia ainda não tem informações relacionadas a motivação e a autoria do crime.

PB Agora


Centro de Eventos Meteorológicos Severos emite alerta de fortes chuvas na Paraíba

Centro de Eventos Meteorológicos Severos emite alerta de fortes chuvas na Paraíba
O Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos para o Sul da América do Sul (Alert-AS) emitiu alerta de fortes chuvas para as próximas horas em João Pessoa, Campina Grande e mais 97 cidades da Paraíba.
Para mais detalhes clique aqui.
O Centro Virtual para Avisos de Eventos Meteorológicos Severos para o Sul da América do Sul alerta para evitar enfrentar o mau tempo e orienta a população que fique alerta a possíveis alterações em encostas.
Confira lista de cidades em alerta de chuvas:
  1. Alagoa Nova
  2. Alagoa Grande
  3. Alagoinha
  4. Alcantil
  5. Algodão De Jandaíra
  6. Alhandra
  7. Arara
  8. Araruna
  9. Araçagi
  10. Areia
  11. Areial
  12. Aroeiras
  13. Bananeiras
  14. Barra De Santa Rosa
  15. Barra De Santana
  16. Bayeux
  17. Baía Da Traição
  18. Belém
  19. Boa Vista
  20. Boqueirão
  21. Borborema
  22. Caaporã
  23. Cabedelo
  24. Cacimba De Dentro
  25. Caiçara
  26. Caldas Brandão
  27. Campina Grande
  28. Capim
  29. Casserengue
  30. Caturité
  31. Conde
  32. Cruz Do Espírito Santo
  33. Cuitegi
  34. Cuité
  35. Cuité De Mamanguape
  36. Curral De Cima
  37. Damião
  38. Dona Inês
  39. Duas Estradas
  40. Esperança
  41. Fagundes
  42. Gado Bravo
  43. Guarabira
  44. Gurinhém
  45. Ingá
  46. Itabaiana
  47. Itapororoca
  48. Itatuba
  49. Jacaraú
  50. João Pessoa
  51. Juarez Távora
  52. Juripiranga
  53. Lagoa De Dentro
  54. Lagoa Seca
  55. Logradouro
  56. Lucena
  57. Mamanguape
  58. Marcação
  59. Mari
  60. Massaranduba
  61. Mataraca
  62. Matinhas
  63. Mogeiro
  64. Montadas
  65. Mulungu
  66. Natuba
  67. Nova Floresta
  68. Olivedos
  69. Pedras De Fogo
  70. Pedro Régis
  71. Pilar
  72. Pilões
  73. Pilõezinhos
  74. Pirpirituba
  75. Pitimbu
  76. Pocinhos
  77. Puxinanã
  78. Queimadas
  79. Remígio
  80. Riachão
  81. Riachão Do Bacamarte
  82. Riachão Do Poço
  83. Rio Tinto
  84. Salgado De São Félix
  85. Santa Cecília
  86. Santa Rita
  87. Sapé
  88. Serra Da Raiz
  89. Serra Redonda
  90. Serraria
  91. Sertãozinho
  92. Sobrado
  93. Solânea
  94. Sossêgo
  95. São José Dos Ramos
  96. São Miguel De Taipu
  97. São Sebastião De Lagoa De Roça
  98. Tacima
  99. Umbuzeiro
Em caso de emergências ligue:
Defesa Civil - 199
Corpo de Bombeiros - 193.

PB Agora


Especialistas afirmam que sem-teto deixam de ser prioridade para a classe política por não terem título de eleitor

Especialistas afirmam que sem-teto deixam de ser prioridade para a classe política por não terem título de eleitor
Dudu é o apelido de um homem que vive na rua desde que se lembra. Ele trabalha vigiando carros em uma área nobre de Brasília durante parte da manhã e da tarde, quando larga tudo para “conversar com Deus” e buscar abrigo em algum lugar tranquilo. O senhor de pele morena, cabelos desgrenhados, barba por fazer e olhos castanhos não entende muito bem o cenário político do Brasil, mas se mostra indignado com as histórias de corrupção. Aparentando mais de 45 anos, acredita que tirou o título de eleitor há 10. Tentou usar o documento uma única vez, em 2014, quando decidiu votar na ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Acabou impedido pelo mesário, que disse que ele não podia permanecer na fila por causa do “cheiro forte” que exalava. Havia três dias que não tomava banho.

Não existem levantamentos atualizados sobre o número de sem-tetos no país. O mais recente é um compilado feito por ONGs que apontam que, em 2012, cerca de 1,8 milhão de pessoas viviam em domicílios improvisados — como grutas, galpões, tendas, pontes e barracas. O número oficial é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010. A estimativa mostra 280 mil pessoas na mesma situação. São pessoas que vivem em meio à crueldade da miséria social e não fazem parte dos planos de quem concorre a cargos eletivos, dizem especialistas. 

“Moradores de rua e presidiários não fazem parte dos planos de governo porque eles não elegem ninguém. São duas populações extremamente abandonadas no discurso político e eleitoral. Muitos não podem votar ou outros tantos não conseguem exercer esse direito por estarem sem documentação”, explica a historiadora Marjorie Nogueira, do Departamento de Serviço Social da Universidade de Brasília (UnB). Ela explica que os discursos para cativar a população mais empobrecida praticamente não existem, pois eles são desprestigiados e invisibilizados, como se não fizessem a menor diferença para o quociente eleitoral.

Entranhados em pequenas brechas ofuscadas pelos prédios que abrigam o poder, há quem troque o voto por comida. É o preço do apoio de uma mulher que vive na Rodoviária do Plano Piloto, a menos de 5km do Palácio do Planalto, símbolo maior da República brasileira. Atenta às necessidades da Justiça Eleitoral, ela procurou saber o procedimento para fazer o recadastramento biométrico. Está com todas as obrigações em dia. A artesã diz não ter ideologia, e conta que escolhe o nome que digitará na urna eletrônica nos acampamentos dos movimentos sociais que frequenta.

Antes de votar, qualquer cidadão precisa preencher os requisitos exigidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Um deles é a moradia. Como as pessoas em situação de rua não têm residência, cadastram o endereço das casas de passagem. Em uma unidade de Brasília, existe até um depósito para guardar os documentos dos sem-teto. Também há pastas para documentos mais urgentes, como uma intimação da Justiça Eleitoral à qual o Correio teve acesso. É uma ordem para que alguém regularize sua vida de eleitor até a próxima sexta-feira.
"Analfabetos" 
“Muita gente acredita que os moradores de rua são desimportantes porque acham que eles não têm título. Muitos, de fato, perdem. Alguns não conseguem votar porque não sabem usar a urna eletrônica. Outros são analfabetos. Tem bastante coisa que acaba errada ou anulada”, explica o advogado Francisco Emerenciano, do escritório Emerenciano Palomo & Advogados Associados, especialista em direito eleitoral.

Para tentar diminuir as diferenças sociais, o ministro do Ministério de Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, diz que investiu R$ 2,8 bilhões para a manutenção de uma rede “de proteção social”. “Esse dinheiro serve para promover uma vida melhor às pessoas em situação de rua. Quando isso acontece, as pessoas se interessam pelo que está ao redor. E, entre eles, está o interesse pelo voto, que é um dos mais sagrados da nossa cidadania. É o voto que permite à sociedade escolher seus representantes e, assim, ajudar no destino do país”, afirma.

A última vez que o Ministério do Desenvolvimento Social divulgou uma pesquisa sobre o número de moradores de rua no Brasil foi no ano de 2007, há mais de uma década. O estudo revelou que havia 92,2 mil famílias inscritas no Cadastro Único como “pessoas em situação de rua”.
Esperança de voltar
Robertinha nasceu Carlos Antônio. E detesta o sobrenome, que prefere não dizer. Amigos dizem que ela foi expulsa de casa porque a família nunca entendeu sua vontade de mudar de sexo. Deixou as ruas no começo dos anos 2000, logo após se formar num curso de manicure em uma casa de assistência social no Entorno. Soube que o dinheiro daquela estrutura que mudou a vida saiu dos cofres do governo e decidiu que o voto seria sua retribuição. Tentaria eleger alguém que continuasse o bom trabalho. Organizou todos os documentos mas, naquela época, não foi autorizada a usar o nome social. Como eleitora, continuava sendo Carlos. Desistiu de votar.

Durante um tempo, tentou se aproximar de autoridades que a ajudassem a resolver essa situação. Dizia que os votos colocavam as pessoas nos lugares onde era possível interceder pelos outros. Nunca conseguiu que lhe estendessem a mão. Robertinha tentou mobilizar sua comunidade e os amigos da rua para puxar votos. Nunca deu resultado, pois nenhum candidato quis colocar os sem-teto e “a mulher em construção”, como ela diz, no palanque. Desistiu mais uma vez de votar. Mudou-se para a Europa há mais ou menos quatro anos, onde vive em um pequeno apartamento.

Planeja voltar para o Brasil em outubro. Quer visitar a irmã e ver se atualiza o nome do título eleitoral. Se conseguir, talvez, tome coragem para votar pela primeira vez. Ainda não sabe qual seria seu candidato. “Honestamente, eu não sei como está a situação no Brasil. Onde moro, perto de Bruxelas, o número de pessoas em situação de rua é bem menor. É quase nulo. O governo se preocupa não apenas com a sobrevivência delas, mas também com seu bem-estar. O brasileiro ainda precisa aprender muito com os países mais velhos”, escreve em mensagem enviada pelo WhatsApp.
O que diz a lei
O artigo 3º da Constituição Federal trata das desigualdades sociais no país e coloca como princípio fundamental da República erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais. Confira 

Art. 3º
Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
I — construir uma sociedade livre, justa e solidária;
II — garantir o desenvolvimento nacional;
III — erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
IV — promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação

Pbagora com dados da UNB


Moradores criam Frente em defesa de Cabedelo e apoio à Operação da PF

Moradores criam Frente em defesa de Cabedelo e apoio à Operação da PF
Com o intuito de lutar contra a corrupção, entidades se unem a população de Cabedelo para criar a Frente de Defesa para Cabedelo Livre da Corrupção. A Frente deverá agir em apoio a Operação Cheque Mate, realizada pela Polícia Federal, e contra uma possível influência do prefeito afastado Leto Viana sobre a atual gestão.

Leita também:
A Frente cobra a cassação de todos os envolvidas nos desvios do patrimônio publico de Cabedelo, o afastamento e investigação do sigilo bancário do prefeito intérmino, Vitor Hugo, e a realização de nova eleição municipal.
Participam da Frente de Defesa para Cabedelo Livre da Corrupção as entidades: 
ACICA - Ernestinho;
MUSIPOC - Tadeu Patrício;
AACC - Jorge Vilela;
MNLM - Aguinaldo Silva;
UCEMS - Dhiego Gomes;
União das Ocupações - Fabio Lopes;
SindCab - Manoel Vieira;
Ação & Cidadania - Cícera Brito;
Arte e Cultura Junina Macambira – Mônica Costa
Juventude Socialista Cabedelo - Betinho Miranda.
Tambores Fortes - Júlio Mola
E os partidos:
PSOL - Marcos Patrício 
PSB - Sales Dantas
PC do B - Ricardo Tabosa
PT - Sandro 
A Frente busca ainda convocar toda a população da cidade para atuar contra possíveis abusos administrativos.
OPERAÇÃO XEQUE MATE
A Polícia Federal, em ação conjunta com o MPPB (GAECO), deflagrou nessa manhã (3) a operação Xeque-Mate com objetivo de desarticular esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo/PB, no âmbito dos poderes executivo e legislativo municipal.
Os envolvidos responderão por formação de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória. O prefeito responderá ainda por crime de responsabilidade de prefeito. O MPPB e a PF disponibilizam o endereço eletrônico http://xequemate.mppb.mp.br para denúncias relativas à investigação.

PB Agora


Falta de acessibilidade nas ruas de João Pessoa prejudica a população

Falta de acessibilidade nas ruas de João Pessoa prejudica a população
Mudar a mentalidade da sociedade e da administração pública que impede ou dificulta o desenvolvimento e a inserção das pessoas com deficiência na vida econômica, cultural, esportiva e social, principalmente no que se relaciona à acessibilidade. Este é o objetivo da Associação de Deficientes e Familiares (Asdef), cujo presidente Francisco Isidoro reclama das calçadas totalmente desniveladas, com batentes, buracos e outros obstáculos que existem na capital.

“As calçadas de João Pessoa ou de qualquer cidade brasileira, com algumas exceções, se constituem em um verdadeiro desrespeito para a dignidade da pessoa com deficiência ou da pessoa de outro segmento que tenha problema com a locomoção, como por exemplo a mulher gestante. É preciso ser um verdadeiro atleta para caminhar nas calçadas de João Pessoa”, diz Francisco Isidoro. 

Ele acrescenta que o Estatuto da Pessoa com Deficiência determina que o poder público é obrigado a fazer recuperação não só nas calçadas, mas em todas as estruturas de acessibilidade do município, inclusive reservar todo ano recursos orçamentais de outras fontes possíveis para poder zerar o déficit que tem nas cidades.

“A administração municipal de João Pessoa começou um trabalho na Av. Beira Rio com o objetivo de padronização das calçadas, algo que a gente sempre defendeu”. Ele explica que, para a Asdef, não basta mudar a vida da pessoa com deficiência por um dia, mas garantir uma vida inteira de dignidade e respeito. A entidade trabalha para que as pessoas com deficiência conheçam seus direitos e compreendam que para que esses direitos saiam do papel é preciso denunciar, cobrar e exigir.

“Espero que se torne uma política do poder público municipal, seja ela qual for que esteja lá e adote isso como uma política concreta, não como uma ação, inclusive uma política que tem que ser elaborada com a participação do segmento para que o segmento inclusive fiscalize como estão sendo feitas essas obras. Temos críticas pontuais a vários aspectos da calçada da Beira Rio, entendemos que várias situações ali deixaram de cumprir as normas de acessibilidade”, acrescenta Isidoro.

Conforme o Censo do IBGE de 2010, mais de mais de 45 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de deficiência. A Paraíba, que tem 27,8% da população formada por pessoas com deficiência, é o segundo estado do Nordeste com maior percentual nesse sentido, ocupando o quarto lugar no ranking brasileiro. João Pessoa engloba 26% dessa população, sendo considerada a terceira capital com maior número de deficientes proporcionalmente ao número de habitantes.

É de responsabilidade da Seplan a fiscalização de obras em prédios privados e calçadas particulares. Essa fiscalização ocorre geralmente por parte de denúncias feitas por moradores ou qualquer cidadão. As calçadas obedecem a um critério de construção de acordo com o Código de Posturas do Município.

Pbagora com jornal A União


Jovem é morto a tiros em Mangabeira; motivação desconhecida

Jovem é morto a tiros em Mangabeira; motivação desconhecida
Um jovem de 19 anos foi morto a tiros na noite deste domingo (22) no Conjunto Patrícia Tomaz, no bairro de Mangabeira, Zona Sul de João Pessoa. Segundo a polícia, o crime aconteceu por volta das 20h20.
A vítima estava em casa quando dois homens chegaram em uma moto. Os suspeitos chamaram pelo nome do rapaz e quando ele saiu, foi surpreendido por cinco disparos. Dois tiros atingiram a cabeça do homem. Ele foi socorrido por familiares para o Ortotrauma, mas não resistiu aos ferimentos.
A polícia investiga o caso e ainda não há informações sobre autoria e motivação.
Pbagora com Tambau 247


Damião diz que Lígia ouve população para decidir futuro político

Damião diz que Lígia ouve população para decidir futuro político
O deputado federal Damião Feliciano, afirmou que a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) vai ouvir a população em diversas regiões para anunciar a estratégia e definição da campanha ao Governo. Mas já decidiu defender alguns projetos do atual Governo Ricardo Coutinho.

Damião Feliciano disse não ter dúvida da candidatura de sua esposa ao Governo e avisou que ela tem tempo para estruturar a campanha e seu programa.– Ela anda promovendo muitos contatos populares para ouvir a sintonia do Povo pois prepara sua candidatura com esse vinculo popular – explicou ele.
Damião Feliciano disse não ter dúvida da candidatura de sua esposa ao Governo e avisou que ela tem tempo para estruturar a campanha e seu programa.
Ele evitou falar sobre com quem ela e ele têm conversado e se vai se colocar com José Maranhão ou Lucélio Cartaxo.
Pbagora


Cientista politico avalia que no século XXI função de vice é desnecessária

Cientista politico avalia que no século XXI função de vice é desnecessária


 As relações entre governadores e vices não foram nada amistosas nos governos estaduais da Paraíba desde os anos de 2009 quando o então governador José Maranhão preteriu o seu vice, Luciano Cartaxo, na chapa que tentou a reeleição. Para o professor e cientista político Lúcio Flávio, em pleno século XXI função de vice é desnecessária. 
Sobre a chapa de Maranhão em 2009 ocasiões o peemedebista escolheu o petista Rodrigo Soares para compor a majoritária. Cartaxo teve que se contentar com a disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa. Depois de José Lacerda, vice-governador na gestão de Cássio Cunha Lima, afastados do governo estadual em 2009, mais nenhum vice saiu das gestões com a bandeira da paz nas mãos, seja no Governo do Estado e até um pouco antes, em 2004, nos históricos de relacionamentos nas prefeituras.

Lúcio Flávio, explica que o cargo de vice foi criado nos Estados Unidos, com a função de vice-presidente, logo depois da independência das 13 colônias norte-americanas, em 1776. As repúblicas latino-americanas seguiram o mesmo modelo, quando alcançaram a independência e se transformaram em repúblicas, no século XIX. Menos o Brasil, que foi monarquia até 1889. Naquele século, a função de vice tinha razão de ser. “Não havia meios de transportes ágeis e a comunicação era extremamente precária. Quando o presidente viajava tinha que deixar o vice no lugar. Pois passaria longo tempo ausente”. Para o professor, no século XXI o papel do vice é completamente irrelevante e desnecessário.
Pbagora



Marinha anuncia novo concurso com salários iniciais de R$ 11 mil


Com 27 vagas disponíveis, a Marinha anunciou a abertura das inscrições para um novo concurso público. Os classificados integrarão o Quadro Técnico do Corpo Auxiliar da instituição de defesa nacional. Os candidatos devem ser brasileiros e com idade até 35 anos.
Há oportunidades para formados nas áreas de Comunicação Social, Direito, Informática e até Oceanografia. Veja edital. O prazo final para as inscrições é o dia 26 de maio. A taxa custa R$ 120. Clique aqui para realizá-la.
Os aprovados devem receber um valor inicial de R$ 11 mil, além de benefícios.

Paraiba.com.br


Começa hoje a campanha de vacinação contra a Gripe em toda a Paraíba


A partir desta segunda-feira (23), idosos com 60 anos ou mais, crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional, devem iniciar o processo de imunização.
É que tem início a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A meta é vacinar 90% das pessoas que integram o grupo de risco e assim garantir uma proteção para a população até o dia 1º de junho. Saiba quais subtipos do vírus da gripe são combatidos pelo medicamento clicando aqui.
Ao longo da campanha serão disponibilizadas mais de 196 mil doses da vacina, veja as datas e grupos a serem vacinados:
  • 23/04 a 04/05 – Trabalhadores de Saúde da rede hospitalar, UPA e SAMU;
  • 25/04 – Início da vacinação dos trabalhadores de saúde, gestante e puérperas nas USFs;
  • 30/04 – Início da vacinação de crianças, idosos, portadores de doença crônica;
  • 07/05 – Inicio da vacinação dos professores de escolas públicas e privadas
  • 12/05 – Dia “D” todos os grupos prioritários

Agência Brasil 


João Pessoa atende metas de coleta seletiva estabelecidas pela política nacional


É comum a destinação inadequada dos resíduos das cidades serem alvo de críticas de toda população no Brasil, por razões óbvias como mal cheiro, proliferação de vetores que causam doenças, poluição visual e agressões ao meio ambiente. A reciclagem de resíduos é apontada como uma das ações mais eficazes, já que grande parte dos resíduos pode ser reaproveitada.
A cidade de João Pessoa se destaca positivamente atendendo às metas de recuperação de reciclados (coleta seletiva) estabelecidas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei nº 12.305/2010) e pelo Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de João Pessoa (PMGIRS), transformado em lei municipal em 2014 (Lei 12.957), apresentando um dos maiores índices de material reciclado entre as Capitais brasileiras, variando de 2 a 5%, aproximadamente.
“Ao longo dos anos, a Emlur vem investindo na expansão da coleta seletiva com ações diversas, desde política ligada aos catadores de material reciclado, passando pelo tratamento de resíduos da construção civil, do lixo eletrônico, pilhas, baterias e outros projetos, como o Cata-Treco”, ressalta Lucius Fabiani, superintendente da Emlur.
Ele lembra, ainda, que João Pessoa foi um das primeiras Capitais a por fim ao lixão e a criar seu aterro sanitário. “São ações que trouxeram benefícios para a cidade, como contribuir para a preservação do meio ambiente e para o tratamento dos resíduos gerados diariamente pela população”.
De acordo com dados da pesquisa Nacional de Saneamento Básico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2015, são recolhidos no país cerca de 180 mil toneladas diárias de resíduos sólidos e mais da metade é jogada, sem qualquer tratamento, em lixões a céu aberto. No Brasil, apenas 18% das cidades contam com serviço de coleta seletiva.
Novidades - A ação mais recente implantada foi o Projeto Piloto de Coleta Seletiva Porta a Porta, no Bairro de Manaíra, iniciado no final do mês de março, além da instalação de 12 conjuntos de Pontos de Entrega Voluntária (PEV) em pontos estratégicos da cidade.  
O engenheiro Josué Peixoto, coordenador da Coleta Seletiva da Emlur, explica que as ações do Projeto Piloto estão sendo monitoradas. Na primeira etapa, a equipe de educadores ambientais realizou visitas e reuniões nos condomínios, residências e estabelecimentos comerciais, com distribuição de material educativo.
A segunda etapa é o recolhimento dos resíduos, realizada pelos catadores cadastrados na Emlur, vinculados ao Galpão de Reciclagem do Bairro do Bessa (que atende a região). Os catadores recolhem o material em Manaíra - nos locais cadastrados e nas praças do Bairro nas quais foram instalados os PEV: Sílvio Porto, Alcides Carneiro e Chateaubriand Arnaud.  
Metas para 20018 - Segundo Josué Peixoto, a meta para este ano é manter o monitoramento e estudar as possibilidades para sua ampliação para outras localidades, tanto do projeto piloto de Manaíra, quanto com relação à instalação de novas unidades de PVE. “Nossa equipe de educadores esta à disposição dos moradores de Manaíra que queiram aderir ao Projeto de Coleta Seletiva, basta nos procurar na sede da empresa ou através do número 3214 7622”, reforça Peixoto.
Além do bairro de Manaíra, os PEV foram instalados nos Parques da Lagoa e Parahyba (Bessa); nas praças Coqueiral (Mangabeira), da Paz (Bancários), Soares Madruga (Valentina Figueiredo) e Praça dos Motoristas (Jaguaribe); além da Universidade Estadual da Paraíba (Cristo Redentor) e na Orla Marítima (Cabo Branco e no final da Avenida Rui Carneiro).
Em cada local foram instalados dois equipamentos (um para vidro/metal, outro para papel/plástico). O material depositado é recolhido periodicamente pelos catadores de material reciclado e posteriormente retornam à cadeia produtiva.
Coleta Seletiva – A Coleta Seletiva em João Pessoa é feita pelos catadores integrantes das Associações - Astramare/ Ascare-JP e Acordo Verde, que trabalham nos galpões localizados nos Bairros Treze de Maio, Cabo Branco, Bessa, Mangabeira IV e Jardim Cidade Universitária, além da Central de Triagem localizada no Aterro Metropolitano.
A Emlur dá suporte disponibilizando o galpão para o armazenamento dos resíduos coletados, o veículo para transporte desses materiais, fardamento, equipamentos de proteção individual (EPI), prensa hidráulica e uma refeição. 
Avanços de João Pessoa 
·        Instalação de pontos de coleta de lixo eletrônico (parceria com a Ecobras);
·        Projeto Cata Treco, que recolhe móveis e objetos descartados pela população;
·        Recolhimento de pneus em terrenos e pequenas oficinas, destinados à logística reversa (Reciclanip).

Secom-JP 


Frei Anastácio inicia rotina de trabalho; 'Estou muito feliz de voltar para o meio do povo', afirmou



O deputado estadual Frei Anastácio (PT) participou de atividades no Cariri Ocidental, Seridó e Curimataú,durante o final e semana. Prestes a completar 45 dias de licença das atividades legislativos, o parlamentar  está voltando a rotina de trabalho.  "Nesse final de semana, cumpri minha primeira agenda de atividades depois do infarto. Estou muito feliz de voltar para o meio do povo", disse o deputado.

Uma das agendas do parlamentar, foi no sítio Canoa de Dentro, em Pedra Lavrada, no Cariri Ocidental. Ele foi convidado para participar das comemorações do Dia Internacional da Mulher, com presença de 200 mulheres da zona rural. "Estive na atividade atendendo ao convite da vereadora Cleinha Solon (PT), que vem realizando um grande trabalho em Pedra Lavrada", disse.

Durante as comemorações, organizadas pela Associação Centro da Cidadania de Desenvolvimento das Mulheres de Canoa de Dentro, foram exibidos vídeos de conscientização sobre direitos da mulher e proferidas palestras. Houve ainda,  uma caminhada simbólica para denunciar a violência contra a mulher, encerrando a programação.

" Nós ainda conhecemos o projeto de fabricação de polpa de frutas e sobremesas, desenvolvido pela Associação Centro da Cidadania de Desenvolvimento das Mulheres. Um projeto que já recebeu até prêmio da empresa Natura", destacou o deputado.

Frei Anastácio também visitou assentados da reforma agrária, no assentamento Olho D'água, em Seridó. Ele esteve com seu Beto, criador de caprinos, e Colau que ganhou um prêmio do Banco do Brasil pela implantação de um dessalinizador solar, no assentamento.
" É extremamente reconfortante ver, de perto,esses exemplos de homens e mulheres que se destacam através do trabalho no campo. Também é motivo de muita satisfação ver a alegria dos agricultores com as chuvas que encheram açudes e barreiros ,além das plantações de milho, feijão e outras culturas", ressaltou.
Assessoria 


Estudo inédito indica alta chance de fraude em mil provas do Enem


Análise estatística inédita aponta alta probabilidade de ter havido fraude, de diferentes formas, em ao menos 1.125 provas do Enem, exame nacional que seleciona estudantes para universidades públicas no país. 
Essas provas estão dentro de grupos com padrão de respostas tão semelhantes entre si que, estatisticamente, é improvável que não tenha havido algum tipo de cola nesses casos.
Segundo o modelo estatístico desenvolvido pela Folha, a chance de essas provas serem semelhantes apenas devido ao acaso em uma edição do Enem é de no mínimo 1 em 1.000. 
Ou seja, seria necessário repetir o exame mil vezes para que duas provas, sem interferência, fossem tão parecidas como os gabaritos suspeitos.
Investigações conjuntas do Inep (órgão federal responsável pelo Enem) e da Polícia Federal confirmaram até hoje apenas 14 casos de fraude. A gestão Michel Temer diz que usa estatística e outros meios para combater as colas.
O estudo da Folha identificou tanto duplas de provas suspeitas, o que indica algum tipo de cola rudimentar, quanto grupos com até 67 candidatos suspeitos, apontando para um esquema mais sofisticado de transmissão de respostas. 
A pesquisa considera apenas candidatos que ficaram entre as 10% melhores notas, entre as edições 2011 e 2016, o que representa um montante total de 3 milhões de provas analisadas. Com essa pontuação, o candidato consegue ingressar em cursos concorridos como medicina, direito ou administração.
O modelo adotado é mais rígido do que o aplicado em outros estudos que buscaram identificar fraudes em exames e concursos públicos. 
A estatística foi usada, por exemplo, para detectar cola em universidade da Força Aérea dos EUA, ano passado, ou fraude em concurso para vaga na Receita Federal do Brasil.
O Enem cobra 180 questões dos candidatos, com cinco alternativas cada. O levantamento da Folha calculou a probabilidade de duas ou mais provas terem o mesmo padrão de acertos e de erros.
Foi considerado como altamente suspeito, por exemplo, candidatos que erraram questões marcando a mesma alternativa errada (podiam ter errado escolhendo outras três opções também incorretas).
Outro ponto considerado foi a probabilidade de esses estudantes de alto rendimento errarem questões de dificuldade média ou fácil. Se eles falham nessas perguntas, fica mais improvável que as semelhanças entre as respostas sejam ao acaso, pois espera-se que eles acertem essas questões.
Foram descartadas cinco questões de língua estrangeira, pois os estudantes podem ter padrões diferentes de respostas (eles optam entre inglês e espanhol).
As informações processadas pela Folha são oficiais, chamadas microdados do Enem. O banco mostra todas as respostas de todos os candidatos no exame, onde eles fizeram a prova, onde residiam à época da avaliação e outros dados. 
Nos últimos três meses, a reportagem buscou padrões inesperados nessas respostas.
O banco de dados não mostra nome dos candidatos ou qualquer número de identificação como CPF ou RG.
Cruzando as informações do Enem com as dos ingressantes nas universidades, a reportagem conseguiu identificar um candidato cuja prova está entre as suspeitas.
Folha de São Paulo 


Kate Middleton dá entrada em hospital de Londres em trabalho de parto


A duquesa de Cambridge Kate Middleton, esposa do príncipe William, foi hospitalizada em Londres nos primeiros estágios do trabalho de parto, anunciou a família real nesta segunda-feira (23).
"Sua Alteza Real a Duquesa de Cambridge foi internada no Hospital St. Mary, em Paddington, Londres, no início da manhã, nos primeiros estágios do trabalho de parto", disse o Palácio de Kensington. "A Duquesa viajou de carro do Palácio de Kensington até o Hospital St. Mary com o Duque de Cambridge."
A duquesa de Cambridge está grávida de seu terceiro filho. Como ocorreu com o nascimento de George e Charlotte, a família real mantém suspense sobre o novo herdeiro, que terá o título de príncipe ou princesa de Cambridge.
A duquesa de Cambridge participou de seus últimos compromissos oficiais no dia 22 de março e então entrou em licença maternidade. O nascimento ocorrerá poucas semanas antes do casamento do príncipe Harry com Meghan Markle, que será realizado no dia 19 de maio em Windsor, e dias depois da comemoração dos 92 anos da rainha Elizabeth II.
No dia 27 de março o fotógrafo Arthur Edwards publicou em seu Twitter uma foto das grades do hospital sendo pintadas, o que aumentou a expectativa de que o estabelecimento esteja se preparando para o nascimento do bebê real.
O novo membro real será o quinto na linha de sucessão pela Coroa, depois do seu avô, o Príncipe Charles, de seu pai, Príncipe William e de seus irmãos, Príncipe George e Princesa Charlotte. Assim, o príncipe Harry, seu tio e segundo filho de Charles, vai para a sexta posição.
Diferente de antigamente, o sexo do bebê não faz diferença na linha de sucessão. Isso porque em 2013 a monarquia britânica fez alterações nas leis para acabar com a famosa regra da “primogenitura masculina”, que coloca os homens antes das mulheres na linha de sucessão. Pela regra antiga, de 1701, uma menina não ocuparia o trono caso tivesse um irmão menino mais novo.
No entanto, dificilmente o novo bebê chegará a ocupar o cargo de monarca. Provavelmente ele ou ela será uma espécie de “reserva”, caso alguma coisa aconteça com o primogênito George.
G1 


Redução da taxa de juros torna poupança mais atrativa, mostra estudo

As sucessivas reduções da taxa básica de juros, a Selic, estão tornando o mais tradicional investimento do país, a poupança, mais atrativa. Desde outubro de 2016, a Selic já passou por 12 cortes seguidos e a expectativa é de que volte a ser reduzida do atual patamar de 6,5% ao ano para 6,25% ao ano, em maio. No início do atual ciclo de cortes, a Selic passou 14,25% para 14% ao ano.

A rentabilidade da poupança não sofre incidência de Imposto de Renda (IR) e não há cobrança de taxa de administração, como nos fundos de investimento, por exemplo. Desde maio de 2012, há regras diferentes para o cálculo da poupança de acordo com o nível da Selic. Quando a Selic fica igual ou acima de 8,5% ao ano, a caderneta rende 6,17% ao ano (0,5% ao mês) mais a Taxa Referencial (TR), tipo de juro variável. Abaixo de 8,5% ao ano, a caderneta rende 70% da taxa Selic mais variação da TR.
Segundo estudo da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), a poupança é melhor opção quando comparada a fundos de renda fixa, que cobram taxas de administração acima de 1% ao ano. Além da taxa de administração, os rendimentos do fundo de investimento sofrem incidência de IR. Quanto menor o prazo de resgate, maior é a tributação, que varia de 15% a 22,5% dos rendimentos.
De acordo com as simulações da Anefac, se um investidor aplicar R$ 10 mil, em 12 meses o rendimento da poupança chegará a 455 (4,55% ao ano), na aplicação seguindo as regras atuais.
Em um fundo de investimento, com taxa de administração de 0,5% ao ano, o ganho ficaria em R$ 491, ou seja, acima do rendimento da poupança. Com a taxa de administração de 1% ao ano, o rendimento acumulado seria de R$ 466. Já com a taxa de administração de 1,5%, o rendimento perde para a poupança, pois chega a R$ 441.
“Mesmo com a queda da Selic, os fundos continuaram cobrando o mesmo percentual de taxa de administração que cobravam anteriormente. Ou seja, quando a Selic estava em 14,25%, as taxas variavam de 1,5% a 3% e agora que a Selic está em 6,5% ao ano, continuam cobrando a mesma taxa”, disse o diretor de Economia da Anefac Miguel de Oliveira.
Para o diretor da Anefac, é “inevitável” que as instituições financeiras lancem fundos de investimentos com taxas de administração mais baixas para não perder clientes. “Os bancos já estão perdendo clientes para poupança e Tesouro Direto, onde eles não ganham nada. Naturalmente, esse quadro vai levar os bancos a reduzir suas taxas de administração”, disse Oliveira.
Outra opção para os investidores mais conservadores são os certificados de Depósito Bancário (CDBs), títulos emitidos pelos bancos. Geralmente, os bancos oferecem o CDB pós-fixado, com rentabilidade parecida com a Selic (taxa do CDI - Certificado de Depósito Interbancário). Por isso, Oliveira calcula que para garantir ganho igual ao da poupança, o investidor tem que obter uma taxa de juros de cerca de 85% do CDI. As aplicações em CDB pagam igualmente Imposto de Renda de acordo com o prazo de resgate da aplicação.
Há ainda as aplicações no Tesouro Direto, que também têm incidência de Imposto de Renda sobre os ganhos e cobrança de taxa de custódia. “O Tesouro Direito é uma boa alternativa, ela compete com a poupança. O Tesouro Selic, por exemplo, rende 100% da Selic. Portanto, rende mais que a poupança. A questão é que a poupança é muito mais simples de aplicar, é melhor compreendida. No caso do Tesouro Direto, tem que entrar lá no sistema e escolher o papel, se atentar para o prazo de resgate. Então, há certa dificuldade”, disse Oliveira.
Para o coordenador do MBA em gestão financeira da Fundação Getulio Vargas (FGV), Ricardo Teixeira, é preciso ter algum conhecimento sobre o mercado para saber o melhor momento de investir no Tesouro Direto ou resgatar o investimento. “O Tesouro Direto é uma ótima opção, mas não é tão simples como as pessoas fazem parecer. É preciso ter algum conhecimento para saber a hora de vender ou de comprar. Você não vai comprar para somente exercer o seu direito no vencimento. Você vai comprar para exercer o direito em algum momento intermediário. E aí, tanto você pode estar ganhando como perdendo, quando comparado com outros investimentos”, afirmou Teixeira.

Perfil do investidor

Oliveira explicou que para decidir onde investir é preciso analisar, inicialmente, o perfil do investidor. “É preciso saber se é um investidor que aceita correr risco ou não. Se não aceita correr risco, não vai se atrever a aplicar em bolsa de valores". Outra observação é quanto ao tempo para resgatar a aplicação. “Se aplicar o dinheiro em um fundo de ações, pode precisar resgatar em um momento em que as ações estejam perdendo valor. O risco é maior”, disse.
“Se o investidor é conservador, a melhor alternativa é a poupança, o Tesouro Direto ou CDB de um grande banco. Se aceita correr risco, pode pensar em aplicar, se não todo o dinheiro, mas parte dele, em um fundo de ações”, acrescentou Oliveira.
Agência Brasil 


Conservador Mario Abdo Benítez vence eleição no Paraguai


O candidato direitista Mario Abdo Benítez venceu a eleição presidencial no Paraguai neste domingo (22). Com 96% das urnas apuradas, ele recebeu 46,49% dos votos, informou o presidente do Tribunal Eleitoral do país, Jaime Bestard.
Seu principal oponente, o liberal Efrain Alegre, de uma coalizão de centro esquerda, recebeu 42,72% da preferência dos eleitores.
Benítez sucederá em agosto o presidente Horacio Cartes, um empresário da indústria do tabaco que, nestas eleições, candidatou-se ao Senado.
Os centros de votação fecharam às 16h local (17h de Brasília), sem incidentes, informou a autoridade eleitoral. Participaram da eleição cerca de 65% dos 4,2 milhões de eleitores.
Outros oito candidatos competiram pela presidência, mas sem chances reais de vencer.
Nas eleições, de um só turno, também esteve em jogo a composição do Congresso (Senadores e Deputados) e os governos dos 17 departamentos, além das cadeiras no Parlasur (Parlamento do Mercosul).
Em conjunto, foram apresentadas mais de 15 mil candidaturas desde as fileiras de 23 partidos, 17 alianças, outros tantos movimentos e quatro combinações.
Foram desdobrados cerca de 300 observadores internacionais em todo o país de organismos como a União Europeia (UE), a Organização de Estados Americanos (OEA) e a União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore).
Veja abaixo o perfil do novo presidente paraguaio:
Marcado por ser de uma família muito próxima do ex-ditador Alfredo Stroessner, o candidato do partido governista à presidência do Paraguai, Mario Abdo Benitez, do partido Colorado, se esforça para provar suas credenciais democráticas e republicanas.
Com 46 anos, graduado em marketing nos Estados Unidos, "Marito" era favorito segundo as pesquisas, com até 20 pontos de vantagem sobre o candidato liberal Efraín Alegre, da coalizão de centro-esquerda Alianza Ganar.
Seu pai foi secretário particular de Stroessner. Entre eles havia um parentesco por parte das avós.
"Lamento a parte negra da nossa história, mas, como muitos paraguaios, acho que não deve ser uma desculpa para manter uma divisão entre compatriotas. Eu tinha 16 anos quando Stroessner caiu", afirma.
Mas esse passado foi deixado de fora de sua carreira política e da campanha eleitoral.
"Quem tem menos de 40 anos não se lembra da ditadura. E é por isso que não está na discussão desta campanha", afirma o analista político Francisco Capli à AFP.


PROXIMA → INICIO

Editorial