terça-feira, 22 de maio de 2018

Cobra com cerca de 3 metros é achada no Brejo da PB

0
   
COMPARTILHE
Uma cobra da espécie jiboia, com pelo menos três metros de cumprimento, foi capturada nesta segunda-feira (21) em uma região de mata no município de Bananeiras, Brejo paraibano, a 130 quilômetros de João Pessoa.
Segundo a Polícia Militar, moradores da região viram a cobra e conseguiram capturá-la. Porém, a polícia não soube informar o que ocorreu com o animal.
“Um policial da nossa Companhia estava passando no local e viu um aglomerado de pessoas com a cobra. Até chegamos a enviar uma viatura, mas quando os policiais chegaram lá não conseguiram localizar as pessoas nem a cobra. Então, não sabemos qual destino foi dado ao animal”, contou um policial da Companhia de Polícia Militar em Solânea.
Em casos como esse, a população deve ligar para a Polícia Militar, que encaminha equipes do Batalhão Ambiental para fazer a captura.POSTADO POR FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTA.COM.BR


Receita Federal alerta para golpe contra tomadores de empréstimos


receita-federal-alerta-para-golpe-contra-tomadores-de-emprestimos
Contribuinte deve ficar atento para não cair no golpe (Foto: USP Imagens/Fotos Públicas)

Receita Federal alerta para golpe contra tomadores de empréstimos

Notificação postal, enviada pelos Correios, exige do contribuinte o pagamento de taxa do IOF para desbloqueio de valores de empréstimo

0

   
COMPARTILHE
Um nova modalidade de golpe utilizando o nome da Receita Federal está lesando pessoas que tomam empréstimo em instituições financeiras. De acordo com o órgão, uma notificação postal, enviada pelos Correios, exige do contribuinte o pagamento de taxa do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF) para desbloqueio de valores de empréstimo junto a uma financeira qualquer.
O documento, falso, alega que o crédito ou financiamento só será desbloqueado mediante o recolhimento do imposto. Na correspondência, atribuída a um auditor-fiscal da Receita Federal, há dados bancários para depósito, além de assinatura falsificada.
A Receita alerta que não fornece dados bancários para o recolhimento de tributos federais via depósito ou transferência. “O recolhimento do IOF é feito exclusivamente via Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). Ademais, a cobrança e o recolhimento do IOF são efetuados pelo responsável tributário, ou seja, pela instituição que conceder o crédito”, informa o órgão, em nota.
Também é possível identificar o golpe porque os estelionatários envolvidos no esquema costumam cometer erros de português, apresentar informações confusas ou incorretas, além orientações desencontradas. “Esses são alguns dos indícios de que a correspondência pode ser falsa”.
Os contribuintes que forem vítimas desse golpe podem comparecer a uma unidade de atendimento da Receita Federal, pessoalmente, ou enviar denúncia à Ouvidoria-Geral do Ministério da Fazenda, pela internet.postatado por  FERNANDO COUTINHO - NAÇÃORURALISTA.COM.BR


segunda-feira, 21 de maio de 2018

Juíza federal determina corte no salário de Cássio após constatar que tucano recebe acima do teto

A juíza federal Wanessa Figueiredo dos Santos Lima, da 2ª Vara da Justiça Federal na Paraíba, concedeu liminar, nesta segunda-feira (21), determinando que a União cumpra o teto remuneratório constitucional quanto ao pagamento do subsídio do senador Cássio Cunha Lima. Para isso, o Senado Federal deverá adicionar à pensão especial de ex-governador da Paraíba (no valor atual de R$ 23.500,82), recebida através do tesouro estadual, somente a diferença para alcançar o teto máximo, hoje de R$ 33.763,00.
A Justiça Federal acolheu o pedido de tutela antecipada na Ação Civil Pública n.º 0804256-24.2014.4.05.8200, de autoria do Ministério Público Federal, tendo em vista que a norma constitucional que estabelece o teto de remuneração dos agentes públicos estava sendo continuamente violada com a persistência do dano ao erário.
Para a juíza federal, a Constituição Federal “é bastante abrangente, incluindo todo e qualquer valor remuneratório percebido dos cofres públicos, ainda que se trate de benefícios recebidos de fontes diversas, como a Fazenda estadual e a federal”.
Assim, reconhecendo o extrapolamento do teto constitucional, a magistrada determinou que seja adicionado à pensão de ex-governador recebida do tesouro estadual o subsídio recebido pelo cargo eletivo de senador da República, até alcançar o teto máximo de R$ 33.763,00. “Como não podemos alterar o valor da pensão (verba estadual), diminuímos o valor a ser recebido por meio do subsídio (verba federal)”, declarou a juíza federal. postado por fernando coutinho -  NAÇÃORURALISTA.COM.BR


Em protesto contra preço do diesel, caminhoneiros bloqueiam rodovia em Campina Grande

Caminhoneiros fazem protestos nesta segunda-feira (21) contra o aumento no valor do diesel. A última alta diária ocorreu na sexta (18), quando a Petrobras elevou os preços do diesel em 0,80% e os da gasolina em 1,34% nas refinarias. Foi o 5º reajuste diário seguido. A escalada nos preços acontece em meio à disparada nos preços internacionais do petróleo.
A Petrobras diz que as revisões podem ou não refletir para o consumidor final – isso depende dos postos. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
No início da manhã havia atos em pelo menos 10 Estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.
Paraíba
Uma paralisação ocorre na Alça Sudoeste, em Campina Grande. Os manifestantes interditaram a BR-104, no sentido Campina Grande-Queimadas. A rodovia está sendo liberada apenas para os carros de passeio.
Imagem ilustrativaImagem ilustrativa
G1 


Moradores ateiam fogo em entrada de condomínio para impedir ordem de despejo

350 famílias receberam uma ordem de despejo da justiça federal na manhã desta segunda-feira (21) no Condomínio Vista Verde I e II, no Bairro das Indústrias.

O oficial de justiça esteve no local acompanhado de policiais federais e militares.

Os moradores protestaram ateando fogo na  entrada do condomínio, evitando que o oficial e os policiais tivessem acesso ao local.

Houve princípio de tumulto quando a energia foi cortada e uma equipe do Corpo de Bombeiros tentaram apagar o fogo, mas foi recebida por objetos arremessados pelos moradores.
Uma comissão foi formada para conversar com o oficial de justiça, que informou que hoje era apenas o comunicado e o prazo tinha se esgotado.
De acordo com ele, na próxima visita será o comprimento da reintegração.

Yves Feitosa/David Martins


Paraibanos reclamam que pautas da saúde só são atendidas com aval de Aguinaldo

A jornalista do Estadão Andreza Matais trouxe em sua coluna desta segunda-feira (21) duas notícias sobre os bastidores da política em Brasília, uma envolvendo o governador Ricardo Coutinho (PSB) e outra com reclamações de parlamentares paraibanos. Confira texto na íntegra:
Sem aval… O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, deu um chá de cadeira no governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), e no deputado Hugo Mota (PRB), na última terça. Com audiência agendada, eles aguardaram uma hora e meia e não foram recebidos por Occhi.
…Não entra. Congressistas da Paraíba dizem que as demandas do Estado só são atendidas na pasta da Saúde com o aval do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), colega de partido do ministro Occhi. Procurado, o deputado não retornou.
Foto: Rebeca Carvalho
Paraiba.com.br


João Azevêdo, Veneziano e Ricardo participam de atividade em João Pessoa

O pré-candidatos a governador João Azevêdo, a senador Veneziano Vital e o governador Ricardo Coutinho participaram na tarde deste domingo (20), da Feijoada dos Amigos, em João Pessoa. Pelo segundo ano o evento reuniu centenas de pessoas convidadas, incluindo lideranças políticas de todo o Estado.

Na ocasião, João Azevêdo pôde rever grandes amigos. Marcaram presença no evento os deputados federais Veneziano Vital (PSB) e Wilson Filho (PTB) e os estaduais Jeová Campos (PSB), Nabor Wanderley (PRB), Gervásio Maia (PSB), Buba Germano (PSB), Estela Bezerra (PSB), Adriano Galdino (PSB), João Gonçalves (Podemos), Carlos Batinga (PTB) e Raoni Mendes (DEM). Os presidentes do DEM, Efraim Morais, do PTB, Wilson Santiago e do PC do B, Gregória Benário, do PSB de João Pessoa, Ronaldo Barbosa e a secretária geral do Podemos, Ana Cláudia, também estiveram presentes.
O governador Ricardo Coutinho destacou que a Paraíba ganhará um impulso para ir adiante ao garantir a permanência de um projeto que tenha a capacidade de torná-la ainda melhor. "A Paraíba não pode eleger alguém para aprender a administrar. Tem que ter alguém que saiba para onde vão as coisas e para mim é um orgulho vislumbrar o futuro ao lado de João Azevêdo, que é o top da administração pública".
O pré-candidato a governador João Azevêdo disse que é muito bom saber que conta com o apoio de tanta gente que acredita que é possível avançar muito mais, não apenas realizando obras, melhorando os serviços, mas possibilitando um olhar diferente em relação a política. "É gratificante poder chegar em cada cidade e ver tudo que realizamos de bom para as pessoas e ser recebido por forças da oposição e situação".
O deputado federal Veneziano Vital (PSB), pré-candidato a senador, destacou que está entusiasmado pela recepção carinhosa, afetuosa e confiante em cada município do Estado. "Mesmo com o quadro de distanciamento do eleitor como um todo no Brasil, mas na Paraíba, por integrarmos um projeto que vem dando certo, temos uma resposta afirmativa e de confiança de que a Paraíba precisa continuar avançando".
Assessoria 


Em depoimento, testemunha diz ter sido coagido em jogo do Treze

O ano era 2005. O jogo era entre Treze e ABC, válido pela Série C do Campeonato Brasileiro. O então árbitro da partida teria sido assediado pelo quarto árbitro, José Renato Soares, para jantar com a então presidente da Federação Paraibana de Futebol, Rosilene Gomes.
O relato faz parte do depoimento de uma testemunha, presente no relatório da Operação Cartola, ao qual o Portal Correio teve acesso. Segundo o depoente, o fato foi comunicado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), porém nada foi feito. Ele foi um dos denunciantes do esquema investigado pela Polícia Civil e pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e que estaria sofrendo represálias, ficando fora da escala de arbitragem.
Ainda de acordo com a testemunha, por conta de sua recusa de participar do esquema de manipulação de resultados, ele sofreu outros tipos de represálias. Uma delas foi no jogo entre Bahia e América-MG, válido pela Série B do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, uma pessoa ligou para um dirigente do clube baiano e, se passando pelo depoente, teria pedido a quantia de R$ 40 mil. Por conta desse fato, ele teria sido afastado por um mês.
Outro fato aconteceu em na final do Paraibano de 2016, entre Campinense e Botafogo-PB. Segundo a testemunha, o assistente número 2 do jogo, Griselildo de Sousa, conhecido como Sousa Júnior, teria comemorado o gol do Belo (que venceu o confronto por 1 a 0). Segundo o depoente, o auxiliar teria dito: “um a zero para a gente”.
Ele afirmou ainda que tem conhecimento que a manipulação de resultados acontece através do pagamento de valores para membros da FPF e da comissão de arbitragem, para fraudarem o sorteio dos árbitros e “colocarem pessoas indicadas pelos clubes”.
Ele afirmou ainda que teria recebido ameaças veladas de José Renato, ex-presidente da Comissão de Arbitragem da FPF. Também foi dito que as propinas seriam pagas em espécie e pessoalmente para não levantar suspeitas.
Por fim, ele disse que o esquema é dirigido pela diretoria da FPF em conjuntos com os dirigentes dos clubes. Ele afirmou também que as pessoas que não querem fazer parte do esquema, sofrem represálias, deixando de serem escalados para os jogos e sendo ameaçados até de serem excluídos dos quadros da CBF.
Portal Correio entrou em contato com os citados nesta reportagem. José Renato disse que não iria se pronunciar e nem representantes do Treze nem a presidente Rosilene Gomes foram encontrados.

Vozdatorcida com Rammon Monte/Portal Correio 


Ricardo lança 'Paraíba Transparente' e assina decreto que regulamenta Lei Anticorrupção

O governador Ricardo Coutinho lança, nesta segunda-feira (21), o programa Paraíba Transparente, que visa auxiliar os municípios, principalmente, na implementação de medidas de governo transparente previstas na Lei de Acesso à Informação (LAI).
Na ocasião, serão assinados os Decretos que regulamentam a Lei Anticorrupção e a competência das Ouvidorias Públicas e a proteção e participação do usuário dos serviços públicos; e as mensagens que criam o Fundo Anticorrupção e o Dia Estadual do Controle Interno.           
Data: 21/05/18 – Segunda–feira
Hora: 10h
Local: Salão Nobre - Palácio da Redenção
Secom-PB 


Motoristas batem carros de luxo, abandonam local e têm prejuízo de R$ 1,1 milhão


Dois motoristas bateram seus carros de luxo e abandonaram seus veículos em um cruzamento de Sheffield, a sexta cidade mais populosa da Inglaterra. O prejuízo foi estimado em 230 mil libras esterlinas (equivalente a mais de R$ 1,1 milhão), segundo o diário britânico "The Sun".
Um Porsche vermelho, modelo Cayman 2.7, perdeu uma das rodas traseiras e o retrovisor esquerdo no impacto. A Ferrari 458 Spider, de cor preta, ficou ainda mais destruída, com o capô retorcido e a engrenagem aparente acima da roda dianteira direita.
Carro de luxo teve roda arrancada com impacto
Carro de luxo teve roda arrancada com impacto Foto: Reprodução/Twitter
O primeiro veículo, vermelho, custa 80 mil libras esterlinas (R$ 400 mil). O segundo, 150 mil libras esterlinas (R$ 750 mil), segundo o tabloide.
A polícia de South Yorkshire publicou fotos do acidente no Twitter e apelou a residentes por informações que levassem aos motoristas. Os dois condutores fugiram do local da batida imediatamente, segundo testemunhas citadas pelo "The Sun". Um deles teria retornado à cena da colisão à noite.
Carro foi abandonado no acostamento
Carro foi abandonado no acostamento Foto: Reprodução/Twitter
Não há informações se houve feridos no acidente. Dezenas de curiosos se amontoaram no cruzamento para acompanhar a ação da polícia, neste domingo.
Um internauta desconfiou da quantidade de curiosos, da fuga dos motoristas e levantou a hipótese de a colisão ter ocorrido durante um "pega" nas ruas da cidade.
Extra 


Polícia Federal investiga escritório suspeito de lavar dinheiro do MDB

Os investigadores que trabalham no inquérito dos portos, que tem entre os alvos o presidente Michel Temer, miram uma nova linha de investigação: informações prestadas por um advogado que, em delação premiada, revelou que seu escritório serviu como centro de lavagem de dinheiro para Milton Lyra, apontado como operador do MDB. As operações, segundo Flavio Calazans, eram para Lyra “gerar caixa”, e, por isso, “o dinheiro entrava na conta do escritório”.
O dinheiro, segundo a delação, foi repassado pela empresa Pérola, do Grupo Rodrimar- empresa do setor de portos que é alvo do inquérito dos portos.
A PF suspeita que o decreto assinado por Temer em 2017 beneficiou a empresa. Esse repasse da Pérola, segundo a delação premiada, entrou na conta do escritório de Calazans entre 18 de junho de 2014 e 20 de março de 2015, em dez transferências mensais, no valor de R$ 37.500,00 cada uma.
As informações constam no acordo de colaboração de Calazans, que foi adicionado no inquérito dos Portos. O depoimento do advogado foi incluído a pedido do Ministério Público Federal. Agora, a Polícia Federal enviou as informações para análise.
O blog obteve acesso ao depoimento, prestado pelo advogado no dia 26 de março deste ano, na sede da Procuradoria Geral da República em São Paulo.
No acordo, Calazans diz que “existia uma conta-corrente de operações entre ele e Victor Colavitti e Rodrigo Britto, sendo que o dinheiro que entrava na conta do escritório saía, imediatamente, ou alguns dias após, para constas indicadas por Rodrigo e Victor”.
“Afirma que 90% das operações realizadas por Victor e Rodrigo eram operações para Milton Lyra, sendo que precisavam 'gerar caixa' e, por isso, o dinheiro entrava na conta do escritório e 97% a 95% era devolvido às contas por eles indicadas”.
Lyra é citado em delações premiadas devido à relação com políticos. Em abril, ele teve a prisão decretada no âmbito da Operação Rizoma, que investiga prejuízos no Postalis, fundo de pensão dos funcionários nos Correios. Ele é suspeito de envolvimento no esquema que desviou recursos do fundo. Em maio, o ministro Gilmar Mendes, do STF, mandou soltar Lyra.
Sobre o repasse do Grupo Pérola, o delator disse que existia um grupo de empresas do setor marítimo e de porto, com relação às quais Rodrigo Brito solicitou a ele que fossem realizadas operações financeiras. E que “se reuniu com Rodrigo Brito, no escritório, dele, na Avenida Faria Lima,em meados de 2014, quando foram acertadas as operações", além de ele ter elaborado minutas de contratos com as empresas em questão, “os quais eram fictícios, mas serviriam para dar suporte aos recebimentos”.
Calazans informou também que chegou a se encontrar com Ricardo Mesquita, executivo da Rodrimar, no escritório de Rodrigo Brito, mas disse que ele não participou de reunião sobre operações.
O nome da Rodrimar surgiu no meio das investigações feitas a partir da delação da JBS. A empresa é especializada em comércio exterior, atua no setor de portos, com base em Santos. Ricardo Mesquita, então executivo da empresa, apareceu no café onde o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, do MDB, que ficou conhecido como “homem da mala da JBS”, se reuniu com o executivo da J&F, Ricardo Saud.
G1 


Bolsonaro cita Clodovil e colega negro para rebater acusações de preconceito

Com uma extensa lista de declarações e atitudes polêmicas nos seus 30 anos de vida pública, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) busca provar na Justiça, nas redes sociais e em entrevistas que não é racista, homofóbico ou misógino.
Para isso, usa vídeos amistosos com amigos negros, como o relato de que salvou um colega negro da morte em 1978, e a troca de amabilidades com o costureiro e deputado Clodovil, morto em 2009, entre outros recursos.
A acusação de racismo contra o deputado tomou corpo em 2011 quando, em entrevista ao programa CQC, da TV Bandeirantes, respondeu que não iria discutir "promiscuidade". Era uma resposta a uma pergunta da cantora Preta Gil sobre como ele reagiria caso um filho seu se apaixonasse por uma negra.
Após a veiculação do programa, o parlamentar disse que tinha entendido "gay" no lugar de "negra".
O caso foi arquivado no Supremo, sob o argumento de que Bolsonaro goza de imunidade parlamentar e porque a emissora não forneceu a gravação original, sem edição, que permitisse juízo de valor sobre a possibilidade de engano em relação à pergunta.
No ano passado, nova polêmica. Em discurso no clube Hebraica, afirmou: "Eu fui em um quilombola [termo correto é quilombo] em Eldorado paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais".
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, apresentou no último dia 12 denúncia por racismo ao Supremo Tribunal Federal."Jair Bolsonaro tratou com total menoscabo os integrantes de comunidades quilombolas. Referiu-se a eles como se fossem animais, ao utilizar a palavra 'arroba'. Esta manifestação, inaceitável, alinha-se ao regime da escravidão, em que negros eram tratados como mera mercadoria", escreveu Dodge.
Bolsonaro nega ser racista e tem repetido o apelido do sogro, "Paulo Negão", como um dos argumentos a seu favor. Ele e seus aliados também veiculam vídeos em que é elogiado por negros, um deles pelo jogador de futebol Somália.
No livro que escreveu sobre o pai ("Bolsonaro, Mito ou Verdade"), o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) relata que no ano de 1978 o hoje presidenciável salvou um colega de morrer afogado. "Negão Celso", como era conhecido, havia caído na água durante uma prova militar.
"Rapidamente, Bolsonaro arrancou a gandola, os coturnos e pulou na água para resgatá-lo. [...] Uma evidente prova de 'racismo' de Bolsonaro já nos tempos da caserna", ironizou Flávio.
O rótulo de homofóbico Bolsonaro diz ter ganho por combater a partir de 2011 o que a bancada religiosa na Câmara batizou de "kit gay", a distribuição de material sobre diversidade sexual nas escolas.
Em debate na Câmara em 2012, ele afirmou: "A tropa de homossexuais, agora, está batendo em retirada do campo de batalha. São heterofóbicos. Quando veem um macho na frente eles ficam doidos. [...] Homossexualismo... Direito... Vai queimar tua rosquinha onde tu bem entender, porra!"
Bolsonaro coleciona, antes e depois do kit gay, declarações contrárias a homossexuais e troca de ofensas com o colega Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é homossexual.
Agora, afirma combater apenas o que chama de apologia gay nas escolas, que se dá bem como homossexuais e que até já contratou assessor gay.
"Ao contrário do estereótipo equivocado que o réu tenta imputar ao autor, este vê e trata homossexuais como seres humanos normais, detentores de direitos e obrigações", diz peça de ação por danos morais que ele move contra o apresentador Marcelo Tas, que em entrevista o chamou de racista e homofóbico.
No mesmo documento, é relatado aparte elogioso feito por Bolsonaro, no plenário da Câmara, a Clodovil, que era homossexual. "Eu respeito a sua pureza, a sua inocência."
"Um homofóbico iria à tribuna para elogiar, afagar e prestigiar um colega homossexual?", pergunta sua defesa.
Em relação às mulheres, o presidenciável responde a duas ações penais no STF sob acusação de incitação ao estupro e injúria contra a deputada Maria do Rosário (PT-RS). Ele afirmou numa discussão –e, depois, em entrevista e pronunciamento – que não estupraria a parlamentar porque ela não merece.
O presidenciável defendeu em 2014, em entrevista ao jornal Zero Hora, o pagamento de salário mais baixo às mulheres, já que elas engravidam.
Advogado de Bolsonaro e presidente de seu novo partido, o PSL, Gustavo Bebianno diz que as acusações são injustas. "Ficam inventando essas bobagens, dando destaque a bobagens, como se tratasse de coisa séria. O Jair não é racista, tem 500 amigos negros", afirma.
Sobre Maria do Rosário, diz que foi só um bate-boca infantil. "Ele respondeu no calor das emoções. De cabeça fria teria outra atitude." 
O que o presidenciável ou sua defesa falam sobre suas frases polêmicas
MULHERES
"Entre um homem e uma mulher jovem, o que o empresário pensa? 'Poxa, essa mulher tá com aliança no dedo, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade. (...) Por isso que o cara paga menos para a mulher. (...) Eu sou um liberal, se eu quero empregar você na minha empresa ganhando R$ 2 mil por mês e a Dona Maria ganhando R$ 1,5 mil, se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego! O patrão sou eu"
- 2014, em entrevista ao jornal Zero Hora
"Eu não empregaria [homens e mulheres] com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente"
- 2016, em entrevista à apresentadora Luciana Gimenez na RedeTV!
"Fica aí, Maria do Rosário, fica. Há poucos dias tu me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fica aqui para ouvir"
- 2014, em discurso no plenário da Câmara
"Eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens. A quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher"
- 2017, em palestra no clube Hebraica, no Rio
O QUE DIZ ELE E SUA DEFESA- Afirma não ser misógino
- que está protegido pela imunidade parlamentar em relação às suas opiniões, palavras e voto
- No caso da defesa de que mulher ganhe menos do que homem, diz que que estava explicando a situação do empresário brasileiro, não dando uma opinião pessoal
- Sobre o caso do estupro, afirma que foi chamado de estuprador pela deputada e que apenas reagiu à agressão
GAYS
"Se o filho começa a ficar assim, meio gayzinho, [ele] leva um couro e muda o comportamento dele"
2010, em entrevista à TV Câmara
"O comandante Jean Wyllys abandonou a tropa de homossexuais. E a tropa de homossexuais, agora, está batendo em retirada do campo de batalha. São heterofóbicos. Quando veem um macho na frente eles ficam doidos. (...) Homossexualismo... direito... vai queimar tua rosquinha onde tu bem entender, porra!"
- 2012, em sessão da Câmara que discutiu a chamada "cura gay"
"Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí"
- 2011, em entrevista à revista Playboy
"A sociedade brasileira não gosta de homossexual"
- 2013, em entrevista ao comediante inglês Stephen Fry
"Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater"
- 2002, em entrevista à Folha
O QUE DIZ ELE E SUA DEFESA
- Afirma não ser homofóbico
- Diz apenas combater a veiculação de conteúdo educacional sobre diversidade sexual nas escolas
- Diz já ter tido assessor gay e aponta um aparte elogioso que fez ao deputado Clodovil (1937-2009) como prova de que não é homofóbico
NEGROS
"Eu fui em um quilombola em El Dourado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais"
- 2017, em palestra no clube Hebraica, no Rio
"Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu"
- 2011, em entrevista ao CQC, respondendo a uma pergunta gravada de Preta Gil sobre o que ele faria se um filho seu se apaixonasse por uma negra
O QUE DIZ ELE E SUA DEFESA
- Afirma não ser racista
- Que está protegido pela imunidade parlamentar em relação às suas opiniões, palavras e voto
- Sempre repete que seu atual sogro (pai da sua terceira mulher) se chama "Paulo Negão"
- Em 1978, salvou um colega soldado, "Negão Celso", de morrer afogado durante um treinamento. "Uma evidente prova do 'racismo' de Bolsonaro já nos tempos de caserna", ironizou o filho Flávio no livro que escreveu sobre o pai
​- Sobre o caso do CQC, afirma ter entendido errado a pergunta (teria ouvido "gay" no lugar de "negra"). O caso foi arquivado no STF sob o argumento de imunidade parlamentar e a falta da gravação original, sem edição, que permitisse juízo de valor sobre a possibilidade de engano em relação à pergunta

Folha de São Paulo 
Ranier Bragon


Cartaxo participa da celebração da Festa de Pentecostes no Ginásio O Ronaldão

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, acompanhou, na manhã deste domingo (20), a Missa de Pentecostes, realizada pela Arquidiocese Metropolitana da Paraíba no Ginásio O Ronaldão. Acompanhado de milhares de fieis de todas as paróquias que compõem a Arquidiocese, Luciano assistiu à missa celebrada pelo arcebispo Dom Manoel Delson, que marca uma das datas mais importantes do calendário cristão: a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos, Maria, e seguidores de Jesus Cristo.
“Para mim é muito importante participar deste momento de louvor, de oração de uma festa tão marcante para nós cristãos. Todos os anos faço questão de estar aqui presente nesta cerimônia para receber o Espírito Santo, fortalecer minha fé e minha disposição para seguir seus ensinamentos, semeando o bem na minha família e no trabalho que exerço pelo povo de João Pessoa”, afirmou Luciano Cartaxo.
O Domingo de Pentecostes é celebrado 50 dias depois do Domingo de Páscoa, e ocorre no sétimo dia depois do dia da Ascensão de Jesus. Durante a celebração, que teve como tema “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’ a serviço do Reino – Sal da Terra e Luz do Mundo”, Dom Delson falou da força deste momento para a Igreja Católica, pois também simboliza o seu surgimento, e orientou os fieis sobre os ensinamentos do evangelho.
Durante sua homilia, Dom Delson, que assumiu a Arquidiocese as Paraíba há exatamente um ano, se tornando o 7° Arcebispo Metropolitano, destacou também o papel dos fiéis nos dias de hoje. “Somos todos missionários do Jesus Cristo ressuscitado. Renovamos nossa fé e nossos compromissos de missionário”, afirmou.

Paraiba.com.br


Maranhão recebe manifestações apoio durante festa de emancipação política de Areia

O senador e pré-candidato a governador da Paraíba, José Maranhão (MDB), recebeu, nesta sexta-feira (18), grande manifestação de apoio por parte da população do Brejo do Estado durante breve passagem por Guarabira e Areia.
Primeiro o deputado estadual Raniery Paulino levou o pré-candidato a um passeio pelo shopping da cidade de Guarabira, onde foi abordado pelos transeuntes, e de quem recebeu manifestações de apreço a sua candidatura.
Em cada aperto de mão e abraço, as pessoas faziam questão de destacar o quanto acreditavam no trabalho de Maranhão. "Cada gesto espontâneo de reconhecimento é uma força a mais para seguir em frente. E essas pessoas acreditam porque veem o que já fizemos e sabem que podemos fazer mais", disse Maranhão.
Na cidade de Areia, o pré-candidato comemorou os 172 anos de emancipação política do município. Maranhão foi recebido por uma grande liderança da região, Pai Véi (MDB), que já foi prefeito de Areia por três vezes e por seu sobrinho e secretário de cultura, Gérson Paulino. 
Além desses, acompanharam também o senador, o pré-candidato a deputado estadual André Bezerra (MDB) e o deputado estadual, também emedebista, Raniery Paulino.
Maranhão ficou muito feliz por ter sido tão bem recebido, não apenas pela liderança política da região, mas também, e sobretudo, pela população presente ao evento. "Foi mais uma manifestação de aceitação da minha pré-candidatura. E é muito gratificante passar por tantos lugares e ver que em cada um existe um compromisso cumprido ali e de que as pessoas acreditam que podemos dar continuidade ao que já foi construído", concluiu.
Assessoria 


'Trabalho da Justiça Eleitoral é julgar poder político', diz Vice-procurador-geral da República

 vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, avalia que criminalizar a política pode abrir espaços para o autoritarismo e ambientes de supressão de liberdade. “Em uma democracia, a política é central para a construção de soluções justas”, diz, em entrevista ao Estado. Segundo na hierarquia do Ministério Público Federal, Maia justifica o pedido de envio da investigação sobre o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) para a Justiça Eleitoral dizendo que “não havia afirmação de entrega de dinheiro em troca de favor”. Para ele, “o trabalho da Justiça Eleitoral é julgar o poder político”. Abaixo, os principais trechos da entrevista:Luciano Mariz Maia
O Vice-Procurador Geral da República, Luciano Mariz Maia. Foto: Gil Ferreira/Agência CNJ
O sr. sugeriu, e o STJ aceitou, encaminhar casos de ex-governadores, como de Geraldo Alckmin (PSDB), para a Justiça Eleitoral por envolver caixa 2. Há uma tese que defende que o recebimento de vantagem indevida por políticos, por caixa 2 ou por doação registrada, pode configurar corrupção passiva. O sr. concorda?
Quando estamos diante de uma investigação por fatos delituosos, temos de identificar as potenciais condutas que podem ter sido praticadas. Dizemos que não se investigam pessoas, mas fatos e condutas capazes de ter enquadramento em lei penal. As informações da delação em torno desse assunto vazaram para a imprensa em abril de 2017 e tornaram-se públicas. Em relação ao ex-governador (Alckmin), não havia nenhuma afirmação de entrega de dinheiro em troca de favor ou de contrato. Fico à vontade para dizer que o que tinha sob minha apreciação era a alegação de entrega de valores para campanha eleitoral sem que tivesse havido sequer alegação de um fato específico ou ato de ofício que teria sido em troca. Se eu estiver errado, quem analisar o caso pode mandar para o lugar certo.
A Justiça Eleitoral tem estrutura para analisar inquéritos ligados a políticos? Há um mês, o TSE julgou as contas de 2012 de alguns partidos. Não corre o risco de casos de políticos prescreverem sem julgamento?
O trabalho da Justiça Eleitoral é julgar o poder político. Ela controla desde a atividade de cadastro do eleitor, registro de candidato, votação, apuração e diplomação. A Constituição não conferiu ao TSE competência originária para apreciar crimes eleitorais. A competência ou é do STF ou do STJ. Assim como acontece com o STF, o TSE tem conhecimento em grau de recurso. Em razão do foro privilegiado e da situação recente, avolumou-se no STF caso criminal, fazendo com que vários ministros mencionassem que o Supremo teria se transformado em Corte penal, alterando a vocação de Corte constitucional. Não é do cotidiano do TSE acompanhar a tramitação de inquéritos e produção de provas no seu âmbito.
Quando o caso do ex-governador Alckmin foi para a Justiça Eleitoral, seu parentesco com o senador Agripino Maia (DEM-RN), réu na Lava Jato (ambos são primos), foi lembrado...
Foi lembrado pela imprensa. Essa pergunta só faz sentido para quem não me conhece e não o conhece. Sou paraibano e construí a carreira de procurador na Paraíba. Circunstancialmente, fiz concurso para promotor de Justiça e fui para o interior do Rio Grande do Norte, inclusive em um período que coincidiu com o primeiro mandato dele como governador. Minha família é de políticos, mas desde que entrei no MP, há 27 anos, não tenho participação na política. Quando ingressei como vice-procurador-geral, preocupei-me profundamente com uma visão compartilhada por muitos do MP acerca da criminalização da política. Em uma democracia, a política é central para a construção de soluções justas para a sociedade. É essencial para assegurar a liberdade de expressão. Criminalizar a política é abrir espaços para as soluções de exceção, para o autoritarismo e ambientes ditatoriais e de supressão de liberdade.
A PGR pretende apresentar a terceira denúncia contra o presidente Michel Temer (MDB) com base no inquérito dos Portos?
Pergunte à procuradora-geral (Raquel Dodge). Eu falo como vice-procurador-geral.
O sr. vê a proposta de fim do foro para juízes e Ministério Público como retaliação do Congresso?
Na democracia, o Congresso tem prerrogativa de inovar no ordenamento jurídico. Definir o foro não é cláusula pétrea, na minha opinião. Não vejo como retaliação, mas como exercício regular da função do congressista.
Estadão 


'Gangue da Marcha Ré' ataca novamente e rouba loja de óculos em CG

A "Gangue da Marcha Ré" agiu novamente e atacou uma loja de óculos localizada na Rua Irineu Jófilly, no Centro de Campina Grande, durante a madrugada desta segunda-feira (21).

Blog do Márcio Rangel 


Corpo de travesti é encontrado com seis tiros no meio da rua

O corpo de uma travesti foi encontrado no abandonado na manhã desta segunda-feira (21) na esquina das ruas 1º de Maio com a Solon de Lucena, no Alto das Populares, em Santa Rita.
A vítima foi identificada como Cristiano dos Anjos da Silva, de 31 anos, e era conhecida como Pandora.
Ninguém soube dizer nada sobre como o crime aconteceu e o fato é cercado de muito mistério. A perícia constatou que Cristiano foi atingido com seis tiros.


Yves Feitosa/David Martins


Desaparecimento do menino Guilherme completa 100 dias, na Paraíba

Com apenas 7 anos, o garoto Guilherme Marinho desapareceu no dia 10 de fevereiro deste ano enquanto brincava na frente de casa, no bairro do Costa e Silva, na Zona Oeste de João Pessoa. Deste então, a Polícia Civil passou a investigar os possíveis locais onde Guilherme poderia estar, sem sucesso. Neste domingo (20) o desaparecimento da criança completa 100 dias.
Quem tiver informações sobre Guilherme deve ligar para (83) 98615-2401 ou para o telefone 197, Disque Denúncia da Polícia Civil.
Recentemente, a mãe do garoto, Valdenice Marinho, revelou à equipe da TV Tambaú que havia entrado em contato com o delegado responsável pelo caso, Reinado Nóbrega, onde ficou sabendo que as investigações estavam paradas naquele momento. Entretanto, havia a previsão de que o delegado entraria com um pedido na Justiça para prorrogar o trabalho.
“Faltam respostas, esclarecimentos; sobram dor e saudade”, descreveu dona Valdenice.
Em meio ao desaparecimento, a polícia realizou buscas coordenadas por agentes do 5º Batalhão de Polícia Militar da Paraíba em áreas de mata localizadas na região do desaparecimento, sem êxito.
O caso segue em aberto, sem provas reais do possível paradeiro de Guilherme Marinho.
T5 


Na Paraíba, casal é baleado por segurança de posto de combustíveis e frentista morre

O frentista de posto de combustíveis, José Nilton, foi assassinado por um segurança de outro posto de combustíveis na manhã deste domingo (20) na cidade de Sousa. 
De acordo com o sargento Getúlio, a vítima - que era frentista do Posto Jácome - estava com sua esposa na lanchonete do Posto Cabocão, quando teria acontecido uma discussão com o segurança deste posto que sacou a arma e atirou contra o casal.
Equipes do SAMU e Corpo de Bombeiros estiveram no local e socorreram as vítimas, porém, o frentista não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo no Hospital Regional de Sousa.
A mulher continua internada e seu estado de saúde inspira cuidados.
O segurança suspeito de cometer o crime não foi encontrado e os motivos da discussão são desconhecidos.

Paraiba.com.br com Repórter PB


Concursos na Paraíba oferecem mais de 160 vagas de emprego com salários de até R$ 19 mil

Concursos e seleções na Paraíba oferecem pelo menos 164 vagas de emprego entre este domingo (20) e o dia 26 de maio. Confira a lista de concursos na Paraíba.
Reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) (Foto: Krystine Carneiro/G1)Reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) (Foto: Krystine Carneiro/G1)
Estão abertas até esta segunda-feira (21) as inscrições no processo seletivo de professores visitantes nacionais e internacionais da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com 89 vagas de emprego. A remuneração pode chegar a R$ 19 mil e as vagas são para os campi de João Pessoa, Areia, Bananeiras e Mamanguape - Rio Tinto.

Professor substituto da UFCG


A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) está com 12 vagas de professor substituto disponíveis nos campi de Campina Grande, Cajazeiras, Pombal e Sumé. As áreas são variáveis e os prazos de inscrição também. Confira abaixo os editais de acordo com a cidade.
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) está com inscrições abertas para pesquisadores do projeto “Aperfeiçoamento de Ferramentas Estaduais de Gestão de Recursos Hídricos no âmbito do Progestão”. Uma das seis vagas disponíveis é para atuar em João Pessoa, na Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).
A prefeitura de Serra Grande, no Sertão da Paraíba, está com inscrições abertas no concurso que oferece 42 vagas de emprego em cargos de níveis fundamental, médio, técnico e superior. Os salários base variam de R$ 954 a R$ 1.724,10, para cargos como professor e psicopedagogo.
Reabrem nesta segunda-feira (21) as inscrições no processo seletivo da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) para 20 vagas de desenvolvedor analista de sistema, cujo edital foi retificado. Com a retificação, o edital agora reserva de 5% das vagas para pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, mental ou múltipla).
G1 


PROXIMA → INICIO

Editorial