sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Deca diz que Eixo Norte será concluído em dezembro

Extremamente feliz pela conclusão do Eixo Leste da transposição, o empresário José Gonzaga Sobrinho (Deca) revelou conversa com o senador Cássio Cunha Lima, do qual é o primeiro suplente, a respeito das obras do Eixo Norte, cujo lote 2 se encontra paralisado, e será reiniciado tão logo a licitação seja concluída, nas próximas semanas.

 “Recentemente conversei também com o ministro Helder Barbalho e dele tive a certeza de que todo o processo licitatório está sendo realizado com absoluta agilidade sem, no entanto, prejudicar os prazos previstos em lei, para que não ocorra nenhuma anulação do certame” – explicou.

Deca garantiu que toda a representação política dos estados da Paraíba, do Rio Grande do Norte e do Ceará está atuando fortemente para que, após a conclusão da licitação, a obra seja retomada imediatamente, e que seja finalizada até o mês de dezembro.

“De fato, o Eixo Norte já poderia estar concluído, mas não poderíamos imaginar que uma empresa desistiria de tocar a obra, como aconteceu. Agora não adiante chorar pelo leite derramado. É preciso fazer cumprir os aspectos legais, arregaçar as mangas e  agilizar a construção, para compensar o tempo perdido”, disse Deca.
Assessoria 

Aguinaldo Ribeiro conta que tem jeito discreto de trabalhar: 'tem gente que fala mais do que faz'

Com papel de destaque junto ao Governo Federal pelo trabalho realizado nos dois mandatos, o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), declarou que sempre pautou o seu ofício na Câmara do Deputados pela ética e defesa do povo paraibano. O parlamentar disse também trabalhar de forma contrária a muitos, que muito falam e pouco fazem.
"Tenho um estilo de mais discrição. Tem gente que fala muito mais do que faz, às vezes diz sem nem fazer, prefiro trabalhar e ter a consciência tranquila do compromisso cumprido com os paraibanos" destacou.
O ex-ministro das cidades também ressaltou o trabalho diário realizado por ele, buscando desenvolvimento e melhorias em diversas áreas para a Paraíba, seja no Congresso, seja no diálogo com o presidente, com ministros, prefeitos e companheiros de bancada.
"Temos defendido os recursos do Orçamento Geral da União para os municípios e o Estado, a exemplo dos recursos para a pavimentação de centenas de ruas em João Pessoa e do canal de Bodocongó, em Campina Grande. Os recursos para entidades como o Hospital Napoleão Laureano na Capital e a Fap em Campina, e tantas ações, como na questão da crise hídrica, estivemos diretamente com o presidente Michel Temer explicando a situação calamitosa do Estado e pedindo que além da urgência da conclusão da transposição, se tomassem medidas emergenciais para garantir água para Campina Grande e demais municípios também na mesma situação" finalizou.

Assessoria 

Em sabatina com ministro, Maranhão cobra 'revolução' na segurança pública do país

Durante a sabatina do ministro indicado para uma vaga no STF, Alexandre de Moraes, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, o senador José Maranhão (PMDB /PB) afirmou que a situação da segurança pública e a precariedade dos presídios no País são “tragédias que mostram a falência do Estado”.
Maranhão lembrou a experiência de Moraes como secretário de Segurança Pública de São Paulo e como ministro da Justiça: “ Se ficasse mais tempo no Executivo, certamente poderia ser muito útil a esse momento que o Brasil está vivendo. Essas tragédias que estão acontecendo aí, nos presídios, não sabemos se foram cultivadas nas ruas e levadas para os presídios ou cultivadas nos presídios e levadas para as ruas”, disse o senador ao destacar que Alexandre de Moraes deixa o Ministério da Justiça para uma vaga em outro Poder da República, o Judiciário, que, ressaltou, também tem instrumentos para ajudar a promover uma mudança nesta área.
“Eu já tive a honra de, por três vezes, administrar o meu Estado e sei, por experiência própria, que é preciso haver uma revolução nesse campo, no campo da segurança pública. Eu acho que os Estados, mesmo os Estados mais fortes, como São Paulo, Minas e outros, estão vivendo dificuldades que são insuperáveis. São dificuldades não somente de natureza política, ética, mas de natureza material”, destacou o senador. Para ele, há necessidade de aumentar os efetivos de policiamento e melhorar o gerenciamento das penitenciárias, que se transformaram em “casas de tortura e, sobretudo, em antros que chantageiam a sociedade”.
José Maranhão enfatizou que intervenção episódica não é solução: “Chama o Exército, chama a Força Nacional. Isso é uma solução para o que nós estamos vivendo aí? Não será uma solução, porque eu não vi, mesmo no Governo atual, nenhuma declaração que nos colocasse tranquilos em relação a esse problema, nenhuma vontade efetiva de resolver e enfrentar a questão, porque todos têm medo de gastar, de aplicar os recursos necessários para aumentar os efetivos da nossa Polícia e para modernizá-la”.
Quanto à indicação de Alexandre de Morais para ministro do STF, Maranhão, que foi presidente da CCJ nos dois últimos anos, se disse satisfeito com a sabatina. “Eu vi e ouvi alguns Parlamentares muitos preocupados com as ligações – algumas conhecidas, outras meras presunções – do indicado com o Governo que aí está e com a possibilidade de se transformar em mais um voto presumivelmente favorável às demandas de interesse do Governo. Eu não vi, durante os meus longos anos de vida, a indicação de algum ministro para o Supremo que não tivesse o lado subjetivo, em que não influísse a visão pessoal do Presidente e de sua equipe”, resumiu José Maranhão, ao salientar que Moraes provou as qualidades de um juiz: equilíbrio, sensatez, além de um vasto conhecimento acadêmico e profissional.
Alexandre de Moraes, destacou a experiência política de José Maranhão, e propôs uma solução integrada para o problema da segurança pública: “Vossa Excelência, com a experiência de ter sido três vezes governador e com a experiência de senador, sabe que há necessidade de um novo modelo de segurança. Além da questão social, segurança é Polícia, Ministério Público e Judiciário num modelo de integração maior. Esse é um grande desafio a que esta Casa, junto com o Supremo Tribunal Federal, junto com o Executivo, num pacto republicano, pode dar um grande auxílio”, afirmou.

Assessoria 

Trump muda regras para acesso de transgêneros a banheiros de escolas

O governo de Donald Trump revogou nesta quarta-feira (22) instruções federais às escolas dos Estados Unidos para que estas permitam que estudantes transgênero usem os banheiros e vestiários compatíveis com a identidade de gênero que escolheram.
A decisão reverte uma instrução promulgada em maio pelo governo Obama. Agora, ficará a cargo dos Estados e dos distritos escolar determinar se as leis federais de discriminação sexual se aplicam à identidade de gênero.
Uma carta enviada às escolas de todo o país pelos departamentos de Educação e de Justiça afirma que as diretrizes anteriores geraram confusão e ações judiciais sobre como deveriam ser aplicadas. De acordo com o comunicado, A instrução será rescindida, mas as salvaguardas contra o bullying não serão afetadas pela mudança.
Ainda que a instrução não tivesse valor de lei, os defensores dos direitos dos transgêneros afirmam que ela era necessária para proteger os estudantes contra discriminação. Os oponentes da medida a consideram um abuso de autoridade.
O presidente Donald Trump acredita que a questão deva ser decidida pelos Estados, sem envolvimento da Casa Branca, informou a Casa Branca.
A instrução do governo se baseava na interpretação de que o Título IX, o código federal que proíbe discriminação na educação e atividades, também se aplica à identidade de gênero.
Ainda que a instrução não tivesse valor de lei, ela representava um aviso às escolas de que poderiam perder verbas federais se não seguissem a interpretação da lei adotada pelo governo federal.
Os republicanos reagiram de imediato, argumentando que o caso constituía um exemplo claro de abuso de autoridade pelo governo federal e de interferência do governo Obama em questões locais. O vice-governador do Texas, Dan Patrick, definiu a medida como "chantagem", e declarou na época que seu Estado estava pronto para dispensar as verbas federais de educação, para não ter de cumprir a norma.
Um juiz federal no Texas suspendeu temporariamente a instrução de Obama em agosto, depois que 13 Estados abriram processo contra o governo federal quanto aos requisitos.
A mudança de posição foi reportada inicialmente pelo jornal "The Washington Post". A reversão é um grande recuo para os direitos dos transgêneros. Os defensores dos direitos dos transgêneros afirmam que as leis federais continuarão a proibir a discriminação contra estudantes com base em seu gênero ou orientação sexual. Mas, ainda assim, a rescisão da instrução pode colocar crianças em risco.
Os ativistas conservadores receberam positivamente os planos de rescindir a instrução, afirmando que esse tipo de dispositivo é ilegal e viola os direitos dos estudantes que têm identidade de gênero fixa, especialmente as meninas, que não se sentem seguras para se trocar ou usar banheiros na companhia de pessoas de anatomia masculina.
Especialistas em questões judiciais afirmam que a mudança de posição pode afetar casos judiciais em curso que envolvam a lei federal quanto a discriminação sexual, entre os quais um processo que será considerado pela Suprema Corte em março sobre um adolescente transgênero que teve acesso negado a um banheiro na Virgínia.
Os juízes podem decidir não acatar o caso e encaminhá-lo para solução em instâncias inferiores.

Folha de São Paulo 

Peça de teatro que encena sexo oral no papa João Paulo II é investigada na Polônia

A Procuradoria polonesa abriu nesta quarta-feira (22) uma investigação sobre uma peça de teatro que tem uma cena de sexo oral com o papa João Paulo II (1920-2005), considerada uma "blasfêmia" pela Igreja Católica e pela imprensa conservadora.
A investigação começou com base em trechos disponíveis ao público do espetáculo "Klatwa" ("Maldição"), apresentado desde sábado (18) no Teatro Powszechny de Varsóvia, indicou o procurador Lukasz Lapczynski.
Uma figura em tamanho natural do papa, vestida com batina branca que é arrancada por uma atriz que encena o sexo oral, é exibida com uma corda no pescoço.
Nesta cena, o 'papa' segura um cartaz com a inscrição "defensor dos pedófilos".
O diretor croata Oliver Frljic, conhecidamente provocador, se inspirou em um texto do autor polonês do século XIX Stanislaw Wyspianski, que trata das relações complexas dos poloneses com a Igreja, para montar a peça.
Wyspianski menciona um drama em um pequeno povoado polonês, cujos moradores acusam uma mulher que teve dois filhos com um sacerdote de causar a seca que afeta suas colheitas, e pedem que ela seja castigada.
Muitas pessoas planejam recorrer à Justiça "por ofensa pública aos sentimentos religiosos", acrescentou o procurador.
A peça suscitou a indignação da Igreja.
"A obra de teatro tem características de blasfêmia", escreveu o porta-voz da Conferência do Episcopado polonês, Pawel Rytel-Andrianik, em um comunicado publicado na terça-feira (21). O texto cita ainda que a peça é "ofensiva" e usa a arte como desculpa para "zombar" de símbolos importantes para a maioria dos poloneses.

Outras críticas

Ao longo da semana, várias pessoas protestaram contra o teatro Powszechny, apoiado pelos setores mais conservadores da sociedade, como a Fundação em Defesa da Democracia, que afirmou nesta quarta que a peça "ultrapassa todos os limites do aceitável".
"Isto não é um teatro, é um bordel" e "Isto não é arte, é um lixo" são alguns dos lemas gritados pelos manifestantes em frente ao local.
O partido governante, o nacionalista e conservador Lei e Justiça, também criticou a peça e vários dirigentes da formação pediram abertamente que seja retirado o financiamento ao Powszechny.
Alguns integrantes do Lei e Justiça acreditam que a peça simula o assassinato do líder do partido, Jaroslaw Kaczynski.
Já Beata Kempa, chefe do gabinete da primeira-ministra da Polônia, Beata Szydlo, se juntou à polêmica ao afirmar que "se houver evidências que a obra incita ao ódio, será necessário transmitir alto e claro que isso não é permitido no país".
Paralelamente, o instituto jurídico Ordo Iuris fez um protesto perante o Conselho da Europa para denunciar que a peça representa uma incitação ao ódio.
Para o Ordo Iuris, a peça é "um ataque a valores protegidos pela Constituição polonesa, ao bom gosto e aos direitos dos católicos" e "uma interpretação razoável" da mesma "permite conectá-la a um chamado ao assassinato do líder do partido do governo".
A direção do teatro nega as acusações, principalmente a que se refere à simulação da morte de Kaczynski, e lembra que a peça explora a divisão entre Igreja e Estado e analisa a influência da religião na sociedade.

G1 

Transparência faz Katy Perry ficar com o bumbum à mostra

Katy Perry escolheu um look supertransparente para prestigiar uma after party doBRIT Awardspremiação que rolou na noite de quarta-feira (22), em Londres.
Na capital inglesa, Katy apostou em um vestido florido revelador. Porém, o que ela não contava é que os fotógrafos de plantão e seus poderosos flashes fossem focar direto no bumbum da cantora. De calcinha preta, ela deixou a lingerie e o bumbum à mostra.
No seu Instagram, na madrugada de quinta (23), Katy posou toda poderosa deitada na cama durante a festa com o modelito, que é assinado pelo estilista Jamie Mizrahi.
Katy Perry (Foto: AKM-GSI)
Katy Perry (Foto: AKM-GSI)
Katy Perry (Foto: Reprodução/Instagram)
Katy Perry (Foto: AKM-GSI)

Revista Quem 

Conflito entre detentos: tiroteio dentro de presídio deixa quatro mortos e 35 feridos

O Corpo de Bombeiros informou ao G1 que subiu para 4 o número de mortos após um tiroteio na manhã desta quinta-feira (23), na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A corporação confirmou ainda que outros 35 detentos ficaram feridos durante a confusão.
A assessoria dos bombeiros destacou que a corporação levou seis feridos para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e um para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa). Os outros que sofreram lesões foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para as mesma unidades de saúde.
Segundo o presidente da Associação dos Servidores do Sistema Prisional do Estado de Goiás (Aspego), Jorimar Bastos, não se trata de uma rebelião, mas sim um conflito entre os próprios detentos. "Foi uma briga entre as alas A, B e C, mas a situação já está controlada. Não houve insatisfação dos presos, mas um confronto entre eles", disse ao G1.
Várias forças de segurança estão no local. O assessor de comunicação da PM de Goiás, tenente-coronel Ricardo Mendes informou que a situação está controlada e que não há reféns.
Na porta do Complexo Prisional, vários familiares dos presos reclamavam da falta de informações. O advogado Gilles Gomes, representante da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Goiás (OAB-GO), disse que não foi autorizado a entrar na unidade para verificar o que estava havendo.
"Estamos tentando entrar para passar informações às famílias e não tivemos autorização do comando. Também estamos indignados", afirmou. 
Tiago Topete
Três dos mortos ainda não foram identificados, mas já está confirmado que um deles foi degolado. Pela manhã, a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) havia confirmado 11 feridos e uma morte, de Thiago César de Souza, conhecido como Thiago Topete, que cumpria pena por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Segundo a polícia, Thiago Topete é o líder de uma quadrilha de tráfico de drogas. Em 2015, quando ele já cumpria pena na POG, o grupo liderado por ele foi apontado como responsável por várias mortes na capital, durante uma disputa com rivais.
A SSPAP destacou ainda que, por volta das 13h, “forças policiais e servidores providenciam o adentramento na unidade a fim de promover extensa varredura à procura de armas e outros objetos ilícitos”. Além disso, segundo a secretaria, não houve reféns e todos os servidores saíram ilesos, sendo que eles "tiveram um papel decisivo no sentido de restabelecer o diálogo e conter o tumulto".
O órgão informou ao G1 que ainda não tem uma atualização do caso.
G1 

Homem atira na companheira e depois se mata na frente dos filho em Campina Grande

Um mototaxista morreu após balear a companheira e depois atirar na própria cabeça, no bairro da Estação Velha, em Campina Grande, no Agreste paraibano. O crime aconteceu no fim da tarde de quarta-feira (22). A mulher, de 41 anos, segue internada no Hospital de Emergência e Trauma na manhã desta quinta-feira (23). No momento do crime, os três  filhos do casal presenciaram tudo.
De acordo com informações da Polícia Militar, o homem estava separado da companheira há três meses. Inconformado, ele foi até a casa dela e disparou três vezes. Os disparos atingiram o peito da vítima.
Logo em seguida, o mototaxista baleou a própria cabeça. A filha mais velha do casal, de 18 anos e que está grávida, passou mal e foi atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).
Os dois feridos ainda foram socorridos para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta quinta-feira. A mulher passou por procedimentos cirúrgicos e, segundo a unidade hospitalar, o estado de saúde dela é estável.

G1 

Criança de dez anos atingida por tiro disparado dentro de casa morre no Hospital de Trauma

A menina de dez anos de idade que, supostamente, havia sido baleada por uma adolescente de 14 anos, na tarde da última segunda-feira, no Jardim Planalto, em João Pessoa faleceu na manhã de hoje (23), no Hospital de Trauma.
"Criança, 10 anos, vítima de ferimento por arma de fogo, procedente do Jardim Planalto. A paciente veio conduzida por ambulância do SAMU. Passou por procedimentos médicos de emergência e após um período internada não resistiu aos ferimentos e foi à óbito na manhã desta quinta-feira", dizia o boletim do Hospital. 
À época, o tenente Alcântara, da Polícia Militar informou que outro menor de 16 anos, que recentemente saiu do Centro Educacional do Adolescente (CEA), conseguiu uma pistola para se vingar de uma cunhada e escondeu a arma embaixo do colchão.
No entanto, a adolescente encontrou a pistola e acabou ferindo a criança com um tiro na face.

Redação com assessoria

CREAS de Sumé realiza campanha contra exploração sexual infantil

O Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS) de Sumé, realizou na noite de quarta-feira (22/02), na praça José Américo e imediações, uma campanha contra a exploração sexual e o trabalho infantil.
A equipe do CREAS esteve entregando panfletos e dialogando com a população sobre a necessidade de combater estes tipos de explorações. Também estiveram participando o grupo de idosos dos Serviços de Convivência.
O CREAS vem realizando uma série de ações para combater o trabalho infantil com visitas à feira livre, comércio e realizando palestras com os pais e oficinas educativas com as crianças.

Qualquer pessoa pode denunciar alguma situação de violência sexual através do disque 100 ou ligar para o CREAS de Sumé (83) 99609-7695.

Cariri Ligado

1ª Câmara do TCE julga irregular contas do EMPREENDER-JP e dá prazo para comprovação de despesas

A 1ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba julgou irregular, à unanimidade, em sessão desta quinta-feira (23), prestação de contas da Secretaria do Trabalho, Produção e Renda de João Pessoa, e do Fundo Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios – EMPREENDER-JP, exercício 2013.
Na mesma decisão, também fixou prazo de 30 dias para o ex-gestor do programa, Raimundo Nunes Pereira, “apresentar comprovação das disponibilidades reclamadas pela Auditoria no valor de R$ 1.218.101,08 (um milhão duzentos e dezoito mil, cento e um reais e oito centavos), sob pena de imputação do valor não comprovado”.
Relator do processo 03387/15, o conselheiro Fernando Catão propôs em seu voto, e o colegiado aprovou, que sejam ainda apresentados, tanto pela secretaria quanto pelo fundo, “demonstrativos consolidados dos valores repassados nas respectivas linhas de crédito dos programas estabelecidos, informando o volume de recursos emprestado em cada programa, além de informações gerenciais como taxa de inadimplência, valores recebidos, valores a receber e custo da operação”.
Ao informar, na sessão, que a Auditoria identificou, e fez constar em relatório, que o programa fez concessão de linha de crédito consignado aos servidores municipais, “sem foco na atividade empreendedora e afastando-se dos objetivos do Programa EMPREENDER-JP”, o conselheiro Fernando Catão também sugeriu, e a Câmara aprovou, que as prestações de contas de ambos – fundo e secretaria – em tramitação na Corte sejam analisadas em bloco e levadas à julgamento na mesma ocasião.
Assessoria 

Três blocos animaram o Projeto Folia de Rua em João Pessoa

Três blocos animam o Projeto Folia de Rua desta quinta-feira (23), em João Pessoa.O primeiro a desfilar é o  bloco “Galo do 13 de Maio”. A concentração aconteceu às 18 horas na Praça Assis Chateaubriand. 
Logo em seguida será a vez do Bloco das Viúvas do Bela Vista. A concentração acontece as 19 horas em frente ao depósito da Célia no bairro do Cristo e terá como atração, a Orquestra e Banda Marah Neves.
Às 21 horas o desfile é do bloco Cordão do Frevo Rasgado XVI. A concentração acontece por trás do Mag Shopping, no bairro de Manaíra e as atração são Orquestra e Lis Albuquerque.

Paraiba.com.br

Veja como o suco detox pós Carnaval auxilia os foliões

O feriado prolongado de Carnaval, que costuma ser repleto de festas e eventos, pode causar arrependimento para quem exagera na alimentação e bebidas. E, para não perder a folia, é preciso ter atenção em tudo que é ingerido, pois uma má alimentação pode causar infecção intestinal, desidratação e até ressaca. “A recomendação é optar por alimentos leves, ricos em carboidratos e fibras, que vão fornecer energia, e consumir águas, sucos de frutas e água de coco para repor líquidos e minerais”, orienta a nutricionista do Hapvida Saúde, Paula Viana.
Mesmo com as recomendações, algumas pessoas exageram e precisam tomar cuidados com o corpo depois de vários dias de folia. Taeq, marca de alimentação saudável do GPA, dá dicas de produtos e receitas para auxiliar no detox depois dos abusos cometidos nos dias de alegria, para retomada da disposição das pessoas seu dia a dia.
Durante e depois das festas é sempre importante garantir a hidratação do corpo para auxiliar na eliminação de toxinas. A marca oferece uma ampla variedade de sucos e chás, como o de hibisco e chá verde. Outra dica é aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras orgânicos e produtos integrais como pães, massas e farelo de aveia, que também são importantes para o processo de desintoxicação do organismo.
Confira algumas dicas de receitas para o pós-feriado:


Suco verde com abacaxi, laranja e hortelã
Ingredientes
·         3 xícaras (chá) de suco de laranja orgânico Taeq
·         2 folhas de couve manteiga orgânica Taeq
·         2 fatias de abacaxi
·         ½ xícara (chá) de folhas de hortelã orgânica Taeq
·         2 rodelas de gengibre
·         Gelo a gosto
Modo de preparo
·         No liquidificador, bata bem o suco de laranja, a couve e as folhas de hortelã.
·         Sirva em seguida com gelo.

Mini pizza de berinjela com ricota
Ingredientes
·         1 unidade de berinjela orgânica Taeq, cortada em rodelas médias
·         Sal a gosto
·         2 colheres (sopa) de azeite extravirgem Taeq
·         1 cebola pequena orgânica Taeq, picada
·         2 unidades de tomate italiano orgânico Taeq, sem sementes cortados em cubos
·         1 xícara (chá) de ricota esfarelada
·         ¼ de xícara (chá) de queijo minas frescal ralado
·         1 colher (sopa) de requeijão light com fibras Taeq
·         Pimenta do reino moída na hora
·         Folhas de manjericão orgânico Taeq
Modo de preparo
·         Deixe as fatias de berinjela de molho na água com sal, durante 20 minutos.
·         Escorra, esprema levemente para retirar o excesso da água.
·         Em uma frigideira antiaderente, aqueça o azeite e doure a berinjela dos dois lados.
·         Acomode-as em uma assadeira e reserve.
·         Em uma frigideira aqueça um pouco de azeite e refogue a cebola. Acrescente o tomate e misture com a ricota, o queijo e o requeijão.
·         Tempere com sal e a pimenta. Desligue o fogo.
·         Sobre cada rodela de berinjela, coloque uma porção de recheio e leve ao forno por 20 minutos.
·         Retire do forno, coloque as folhas de manjericão e sirva em seguida.

Salada de folhas com frutas e rabanete
Ingredientes
·         1 Mix de salada orgânica Taeq
·         4 rabanetes orgânicos Taeq, cortados em rodelas finas
·         2 avocados, cortados em fatias médias
·         2 fatias de melão, cortado em cubos
·         Folhas de coentro orgânico Taeq a gosto
·         30g de Castanha do Pará orgânica Taeq, picada grosseiramente
·         Suco de 1 limão orgânico Taeq
·         Sal e pimenta do reino a gosto
·         3 colheres (sopa) de azeite extravirgem orgânico Taeq
·         1 colher (chá) de mostarda dijon
·         1 colher (sobremesa) de mel silvestre orgânico Taeq
Modo de preparo
·         Em uma saladeira, acomode as folhas, o rabanete, o avocado, o melão e as folhas de coentro.
·         Em uma tigela pequena, misture o suco de limão, o sal, a pimenta, o azeite, a mostarda e o mel.
·         Bata bem com um fouet até engrossar ligeiramente.
·         Tempere a salada, por cima coloque a castanha do Pará e sirva em seguida

Assessoria 

Projeto de abuso de autoridade não deve ser prioridade na CCJ do Senado

O presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, Edison Lobão (PMDB-MA), afirmou hoje (23) que não dará prioridade ao projeto que trata do abuso de autoridade. Passada a sabatina do ministro Alexandre de Moraes pelos membros da comissão, a pauta da CCJ será redefinida nos próximos dias.
O projeto do abuso de autoridade chegou ao plenário do Senado no fim do ano passado em regime de urgência. Contudo, por entendimento entre os líderes e determinação do então presidente da Casa,  Renan Calheiros (PMDB-AL), o projeto foi remetido à CCJ. O acordo se deu em resposta a pedidos para que um projeto dessa natureza não avançasse no Senado sem passar por discussão.
Lobão reiterou que o projeto será discutido e, por isso, não o colocará na frente das outras matérias que tramitam na comissão. “Quero dizer que, do ponto de vista do presidente da comissão, não haverá nenhum interesse em encaminhar esse projeto sobre os demais. O que estou dizendo é que ele estava em regime de urgência no plenário do Senado, ou seja, os líderes consideraram que ele era urgente àquela ocasião. Todavia, também consideraram e comandaram que deveria haver essa discussão mais intensa em torno dele, é o que nós vamos fazer”, disse Lobão.
Segundo o senador, o relator do projeto em plenário, Roberto Requião (PMDB-PR), será mantido na relatoria da matéria na comissão. Para Lobão, o relator “está em condições de fazer um debate adequado para que se chegue a uma conclusão”.
Lobão afirmou ainda que a CCJ tem hoje cerca de 2 mil projetos aguardando análise e que os senadores não têm conseguido deliberar sobre todos eles. “Nós vamos fazer uma avaliação, uma seleção das iniciativas que parecem mais urgentes, e quem sabe dar preferência a elas”. O senador não adiantou quais projetos terão prioridade.
Polêmica
O Projeto de Lei 280/2016 define os crimes de abuso de autoridade cometidos por servidores públicos (da União ou estados) ou membros do Judiciário ou do Ministério Público da União. A matéria modifica a Lei de Abuso de Autoridade, que é de 1965, e criminaliza qualquer servidor público que abuse do poder que lhe foi conferido.
O projeto repercutiu de forma negativa, principalmente entre os membros do Judiciário e do Ministério Público. A matéria prevê a punição de juízes ou procuradores e promotores que determinem prisões “fora das hipóteses legais”, submetam presos ao uso de algemas e façam escutas sem autorização. As mudanças propostas foram entendidas como uma retaliação às ações decorrentes das investigações da Operação Lava Jato.
Agência Brasil 

Governo envia ao Congresso projeto de recuperação fiscal de estados

O Governo encaminhou ao Congresso Nacional o projeto de lei que institui o regime de recuperação fiscal dos estados e do Distrito Federal, de acordo com despacho do presidente Michel Temer publicado na edição desta quinta-feira (23) do "Diário Oficial da União".
Na mensagem publicada no "Diário", o governo comunica o envio do texto ao Congresso, mas não detalha os itens da proposta.
De acordo com o Ministério da Fazenda, o projeto estabelece uma suspensão do pagamento das dívidas dos estados com a União, em troca de contrapartidas que devem ser tomadas pelos governos locais, como a privatização de empresas estaduais.
Em dezembro, a Câmara havia aprovado um projeto de recuperação fiscal dos estados, mas excluiu do texto as contrapartidas. Diante disso, o governo decidiu enviar um novo texto.

Recuperação fiscal

A recuperação fiscal é considerada de vital importância para os estados em dificuldade financeira, como o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul, que têm dificuldades em honrar o pagamento dos salários dos servidores, além de outros compromissos, e que já manifestaram interesse em aderir ao programa. Além destes, Minas Gerais também decretou estado de calamidade financeira.
O Rio de Janeiro, que já fechou um acordo individual com o governo federal, chegou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) para antecipar os efeitos desse entendimento – que prevê um duro ajuste fiscal, com aumento de receitas e cortes de gastos, em troca da suspensão da dívida estadual com a União e o recebimento de empréstimos para colocarem dia os salários dos servidores.
Entretanto, a Advocacia-Geral da União (AGU) e a Secretaria do Tesouro Nacional se manifestaram contra a antecipação dos efeitos do acordo. A AGU argumentou que essa antecipação afrontaria não só vedações da Constituição Federal e da Lei de Responsabilidade Fiscal, como também os princípios da legalidade e da separação dos poderes.
Diante disso, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, relator do pedido de liminar do Rio de Janeiro, para antecipar os efeitos do entendimento com a União, solicitou que tanto o governo federal quanto o estado tentem, até meados de março, aprovar os projetos de recuperação fiscal no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.
G1 

Apesar da queda na Selic, juro do cartão avança e chega a 486% ao ano em janeiro

Os bancos continuaram a subir as taxas de juros ao consumidor no começo de 2017, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta quinta-feira (23). O movimento acontece apesar da série de cortes promovidas pelo BC na Selic, a taxa de juros básica da economia.
Em janeiro, a taxa cobrada nas operações com cartão de crédito rotativo, a mais cara do mercado, voltou a subir e atingiu 486,8% ao ano, novo recorde histórico. Em dezembro do ano passado, os juros dessa modalidade de crédito estavam em 484,6% ao ano.
A série histórica da autoridade monetária começa em março de 2011. Em doze meses, o juro do cartão de crédito rotativo avançou 47,3%.
Nesta quarta (22), o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, anunciou o quarto corte seguido na taxa Selic, que está agora em 12,25% ao ano.

Cheque especial

No caso do cheque especial, informou o Banco Central, os juros médios cobrados pelos bancos nas operações com pessoas físicas registrou pequena queda, passando de 328,6% ao ano, em dezembro do ano passado, para 328,3% ao ano em janeiro deste ano.
Com isso, segue em patamar próximo ao recorde histórico de 330% ao ano, registrado em novembro de 2016. A série histórica do BC, neste caso, começa em julho de 1994.
A modalidade de crédito do cartão rotativo, e também do cheque especial, de acordo com especialistas, só deve ser utilizada em momentos de emergência e por um prazo curto de tempo, devido ao custo proibitivo.
No caso do cartão de crédito, a recomendação dos economistas é que os clientes bancários paguem toda a fatura no vencimento para não deixar saldo devedor.

Medidas para baixar juro do cartão

O governo anunciou recentemente que quer baixar os juros do cartão de crédito para menos da metade do patamar cobrado atualmente pelos bancos. Se a medida for implementada, os juros do cartão recuariam para cerca de 240% ao ano, ainda é considerado extremamente elevado para padrões internacionais.
No fim de janeiro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou norma que restringe o prazo do crédito rotativo do cartão de crédito.
Segundo a norma, o rotativo só poderá ser usado até o vencimento da fatura seguinte. Se na data do vencimento o cliente não tiver feito o pagamento total do valor da fatura, o restante terá que ser parcelado ou quitado.
A expectativa da equipe econômica é que todas as medidas que serão adotadas pelo governo paga baixar os juros do cartão devem estar em vigor até o fim do primeiro trimestre de 2017.
A ação principal será limitar o prazo para o pagamento do rotativo (que é quando é feito o pagamento do valor mínimo da dívida, com o parcelamento do restante) para até 30 dias. Hoje, esse prazo é mais longo.
G1 

Hey, we've just launched a new custom color Blogger template. You'll like it - https://t.co/quGl87I2PZ
Join Our Newsletter