segunda-feira, 25 de junho de 2018

5 razões pelas quais é tão difícil renovar a política brasileira


Ao mesmo tempo em que o Brasil assiste à criação de movimentos que defendem a renovação política e ao surgimento de escolas de formação de novas lideranças, as principais previsões para as eleições de 2018 não são de grandes mudanças.
Na lista de pré-candidatos ao Palácio do Planalto, por exemplo, há pouca novidade: dois ex-presidentes da República, cinco ex-ministros, além de nomes que já estiveram no Congresso, foram governadores ou pelo menos se candidataram a algum cargo em eleições passadas.
No caso do Congresso, se seguir a tendência das eleições passadas, o índice de renovação também não tende a ser muito alto. Dos 513 deputados eleitos em 2014, 290 - mais de 54% - já faziam parte da legislatura anterior. Além disso, a grande maioria dos eleitos que não eram deputados federais no mandato anterior já tinha trabalhado com política ocupando cargos eletivos ou nomeados no Legislativo ou no Executivo, em alguma das três esferas.
Mas afinal, por que é tão difícil renovar a política no Brasil?
A forma como o sistema e as regras estão estruturados, dizem especialistas, tendem a beneficiar quem já faz política e dificultar a entrada dos novatos.
"As estruturas dos partidos são completamente engessadas, hierárquicas e prontas para eleger certas figuras e talvez para trazer um (único) novo nome", afirma a cientista social e antropóloga Rosana Pinheiro-Machado, professora da Universidade Federal de Santa Maria, dizendo ser otimista em relação às novas gerações e formas distintas de candidaturas que estão aparecendo.
Já para o cientista político e professor do Insper Carlos Melo, "algum grau de renovação sempre tem".
"A questão é se vai ser significativa para renovar a cara do sistema", observa Melo, que não aposta numa mudança significativa de imediato, mas acredita que o país está vivendo um processo de transformação da política - os resultados, contudo, só poderão ser mensurados, segundo ele, talvez daqui a quatro ou oito anos.
A BBC News Brasil ouviu especialistas e jovens que dizem querer mudar a política para apontar as principais dificuldades de mudar a cara e as práticas do sistema político no país. Cinco foram as razões mais citadas para explicar por que isso é tão difícil:

1. Estrutura dos partidos políticos

Como candidaturas avulsas ou independentes não são permitidas no Brasil, para disputar uma eleição é obrigatório estar filiado a um partido político pelo menos seis meses antes do pleito.
Apesar de ser relativamente fácil se associar a um partido, as siglas tendem a dar mais oportunidades e a serem mais receptivas aos novatos que são potenciais puxadores de votos, como artistas ou atletas.
"É muito difícil você entrar num partido se não for para trabalhar dentro de uma lógica muito pré-determinada. Muitas vezes a lógica é perpetuar o partido e os mesmos poderes, as mesmas redes. Geralmente redes masculinas, com algumas exceções é claro, mas redes de homens brancos", afirma Pinheiro-Machado.
A professora diz que ainda é muito raro que partidos invistam em candidaturas femininas, em especial de mulheres negras.
Mulheres num protesto com megafone em São Paulo, em janeiro de 2016:Direito de imagemFERNANDOPODOLSKI/GETTY
Image captionJovens, em sua maioria integrantes de movimentos e coletivos, que se filiam a partidos tentam ganhar espaço e ter voz
Alguns partidos estão abrindo as portas para candidatos de movimentos políticos nascidos nos últimos anos, como Agora!, RenovaBR, Movimento Brasil Livre (MBL) e Livres. Mas isso não significa que os mais jovens vão ter voz e força nessas legendas.
Por isso, Pedro Duarte, vice-presidente da juventude do PSDB, defende que mais jovens se filiem a partidos tradicionais e que participem de forma mais ativa da vida partidária na tentativa de abrir espaço para caras novas em organizações onde a estrutura de poder está consolidada e há pouca alternância no comando.

2. Financiamento de campanha

Além de não terem as portas abertas, diz Carlos Melo, os partidos se transformaram em importantes financiadores de campanha e tendem a patrocinar quem já está no poder.
Desde 2014, quando o Supremo Tribunal Federal proibiu a doação de empresas para partidos e candidatos, o financiamento eleitoral ficou restrito às contribuições de pessoas físicas - que podem doar até 10% da renda declarada no ano anterior à eleição - e ao fundo partidário, que é de R$ 888,7 milhões neste ano.
pessoa deposita dinheiro num cofrinhoDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionAlém de doação de pessoa física, campanha de 2018 vai ser financiada pelos fundos eleitoral e partidário
No ano passado, deputados e senadores aprovaram o fundão eleitoral no valor de R$ 1,7 bilhão. Tanto os recursos do fundo partidário quanto os do Fundo Especial de Financiamento de Campanha, nome oficial do fundão eleitoral, têm seu destino decidido pelos partidos.
"Esses recursos tendem a ser distribuídos pela cúpula dos partidos e a fortalecer quem já está no poder", afirma Melo, salientando que nem sempre os partidos são transparentes e democráticos.
Apesar de a minirreforma partidária aprovada no ano passado ter estabelecido um teto para os gastos de campanha, disputar uma eleição de forma competitiva ainda é considerado caro.
"Acho que os partidos são muito pouco dispostos a financiar novos candidatos", completa Rosana Pinheiro-Machado.

3. Força dos que já têm mandatos

Tanto Pinheiro-Machado quanto Melo apontam que, na lógica de privilegiar quem já está no poder, o sistema político dá especial atenção aos donos de mandatos ou de cargos que conseguem usar a máquina pública.
"Imagina um jovem que vai disputar com alguém que já tem sede física, assessores e rede de relacionamento com prefeitos, vereadores", diz o professor, salientando a condição de desvantagem dos que não têm "um aparelho" funcionando a seu favor.
Cerimônia conjunta do Congresso Nacional para a abertura do ano legislativo em 2015.Direito de imagemFABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASI
Image captionDonos de mandato saem em vantagem na disputa eleitoral
Melo afirma ainda que são poucos os partidos que têm líderes carismáticos como Lula ou "chefões" como Valdemar da Costa Neto (PR) e Roberto Jefferson (PTB), que conseguem se manter fortes em suas respectivas legendas mesmo sem mandato.
Ainda assim, Pinheiro-Machado diz que, apesar de ser difícil, é possível romper com esse sistema.
"Sou otimista em relação às novas gerações e às novas formas de candidaturas que estão começando a se colocar na jogada; de pessoas que vieram dos novíssimos movimentos até de candidaturas ativistas, e mesmo de grupos mais ao centro e à direita", diz.
"Há grupos que estão pensando também em amplas redes de renovação política e de formação de lideranças muito voltadas para questões técnicas."
mulher com bandeira do movimento LGBTDireito de imagemFERNANDOPODOLSKI/GETTY
Image captionA professora Rosana Pinheiro-Machado está otimista com as candidaturas de pessoas de movimentos e de ativistas

4. Tom do discurso político

Apesar das dificuldades impostas pelo sistema, os novatos também podem acabar criando dificuldades para si mesmos. Jovens ou neófitos na política nem sempre conseguem fugir do discurso tradicional e impor um tom realmente novo.
Os especialistas, no entanto, são otimistas sobre a nova geração. Para Carlos Melo, há pessoas propondo novos tipos de organização mais horizontal e coletiva. E, principalmente, com um discurso que não desqualifica seus opositores. "Um novo jeito de fazer política está germinando de alguma forma", diz.
Pinheiro-Machado acha que os mais jovens com menos de 20 anos já conseguem fugir do discurso convencional porque fazem parte de "uma geração completamente avessa ao sistema político".
Ela admite, no entanto, que esta turma ainda deve demorar a assumir o poder. Enquanto isso, muitos dos que dizem querer mudar a política a partir das eleições de 2018 "falam mais do mesmo".

5. Disposição do eleitor

eleitor votandoDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionPara o professor Carlos Melo, na ausência do novo, o eleitor prefere votar branco ou nulo
A aparente pequena disposição do eleitor em mudar o sistema também é citada pelos pesquisadores como um dos fatores que dificulta essa renovação. Tamanha insatisfação com a política tem refletido no índice significativo de eleitores que prefere votar em ninguém.
Votos brancos e nulos crescem a cada pesquisa de intenção de votos e, segundo o Datafolha, atingiram neste mês patamares recordes. A depender do cenário, o número de pessoas que declara votar branco ou nulo varia de 17% a 28% na pesquisa Datafolha de junho, feita com mais de 2 mil pessoas em 174 municípios.
"São votos de protesto, de negação da política. A fase em que a gente está é de um mau humor terrível", avalia Carlos Melo.
Como, então, mudar a política?
A BBC News Brasil perguntou a jovens que dizem querer mudar a política como pretendem renovar o sistema. A maioria defendeu uma mudança completa de pessoas, práticas e ideias.
Há, contudo, posições contraditórias em relação os novos movimentos.
Para João Francisco Maria, da Rede e do movimento Agora!, o momento é de transição. "O sistema velho está morrendo, os partidos vão morrer. Mas a gente tem que ocupar esses espaços, hackear a política, ocupar as instituições políticas, ocupar os partidos, ocupar o Parlamento para, dentro dele, ir ajudando para fazer essa transição e a construção do novo."
Já Felipe Rigoni, do Movimento Acredito e do Instituto RenovaBR, diz ser "impossível fazer política sem partido político". Ele acredita que movimentos de renovação politica que estão aparecendo tendem a se integrar com as legendas tradicionais.
É com a participação dos movimentos, afirma Rigoni, que os partidos vão se renovar e "tornar-se o que devem ser: o elo entre o cidadão e o governo".
Por sua vez, Camila Moreno, do diretório nacional do PT, é crítica a muitos dos movimentos que pregam a renovação. "Acho que muitos desses novos movimentos estão ligados à política tradicional. Eles são a ideia da velha política num novo corpo", diz. Ela acredita em mudança porque acha que os jovens "não estão satisfeitos com o que já foi conquistado".
primeira turma da Escola ComumDireito de imagemESCOLA COMUM/REPRODUÇÃO FACEBOOK
Image captionAlunos da primeira turma da Escola Comum, que pretende formar lideranças políticas em São Paulo
Para o vice-presidente do PSDB, Pedro Duarte, "não é uma tarefa fácil, e ninguém nunca disse que seria fácil". "Certamente há uma resistência da velha guarda, mas a gente não pode fazer um discurso muito simples, muito bobo dos novos contra os velhos. Existe muita gente boa que é considerada da velha guarda", avalia.
Para Fábio Osterman, do Movimento Livres, "não existe um só caminho". "Acho que a gente precisa ter esforços concatenados da sociedade civil com a sociedade política."
"Está cada vez mais claro que a gente precisa ter uma mudança geracional, que essa velha guarda que está no poder tem feito o possível para barrar. A gente precisa de uma nova geração de políticos que acreditem a politica serve para servir o cidadão, e não se servir do cidadão", opina Osterman.
Há quem, em vez de se lançar na política, aposte na formação de novos nomes. A professora Rosana Pinheiro-Machado faz parte do grupo que criou a Escola Comum, que capacita jovens lideranças de áreas periféricas com aulas aos sábados, em São Paulo.
"O que a gente não quer é formar aquele estudante de movimento estudantil que repete as mesmas coisas como mesmo tom de voz. A gente quer formar políticos de raiz, voltados para as comunidades locais, mas que saibam pensar de forma intelectual e livre", explica.
BBC 
Fernanda Odilla


João Azevêdo promete fazer novo trecho da adutora Nova Camará


O pré-candidato a governador João Azevêdo (PSB) afirmou que colocará em seu plano de governo uma nova extensão da adutora Nova Camará para garantir o fornecimento de água também para os municípios de Arara, Solânea e Casserengue, no Brejo paraibano.  

João deu uma pausa nos festejos juninos e se reuniu na tarde desse sábado (23), com os ex-prefeitos de Casserengue, Carlinhos (PSB) e Antônio Neixa, com os vereadores Wanderlan e Suênia, a presidente do Sindicato dos Agricultores de Casserengue, Maria Celina e integrantes da oposição no município.  

De acordo com João Azevêdo, após a construção da barragem de Nova Câmara, é preciso continuar ampliando o sistema adutor para levar água para os municípios como Areial, Montadas, Arara e reforçar também o abastecimento de Solânea e Casserengue. "A nossa meta é fazer chegar água aos municípios com a concretização de um grande sistema adutor que vai levar água para a população", completou.       

Durante o encontro, João Azevêdo dialogou e ouviu demandas das lideranças locais como a construção da estrada para Barra de Santa Rosa.  O ex-prefeito Carlinhos agradeceu ao governador Ricardo e a João Azevêdo pelo empenho para a realização do maior sonho do município que foi a construção da estrada de acesso e que espera realizar no futuro governo de João um outro que é o acesso a Barra de Santa Rosa e a melhoria no abastecimento de água do município. 

"Confiamos em João porque ele é firme e não é homem de promessas falsas, como já demonstrou como secretário de Ricardo Coutinho.  Por isso deixo meu total apoio e vamos gastar sola de sapato, pois acredito na vitória de João e de toda Paraíba", afirmou Carlinhos.

Assessoria 


Colisão entre motos deixa um morto e dois feridos na BR-230, no Sertão do Estado


No começo da noite deste domingo (24), BR 230, trecho que interliga Aparecida ao Município de Sousa no Sertão daaa Paraíba um grave acidente envolvendo duas Motos, que resultou em um óbito, e duas pessoas feridas.



As informações colhidas pelo Portal
REPORTERPB
no local do Sinistro, apontam que uma Moto Broz, branca, placa NQE 0641 ocupada pelo casal estava estacionada no acostamento da pista por falta de combustíveis.



A segunda Moto, Titan, azul, placa MGZ 2729 que vinha no sentido Aparecida/Sousa estava em velocidade pelo acostamento, e não na pista de rolamento, quando teria batido na Moto parada, atingindo o casal.



Com o impacto entre as duas Motos, o condutor da Titan, identificado inicialmente apenas por Damião que trabalha com Galego do Aguiar foi arremessado para a pista de rolamento da BR 230, quando um veículo não identificado passou por cima do popular em alta velocidade.



O casal que vinha dos Sem Terra para o Jardim Sorrilândia II aonde reside em Sousa ficou lesionado.



Francisca Vanésia sofreu o impacto maior. A Moto teria abalroado na senhora que apresentava uma lesão na cabeça, e fratura no fêmur da perna direita.



O seu esposo, identificado por Francisco Erivan Galdino, 42 anos lesões diversas pelo corpo, e um profundo corte na perna esquerda, aparentemente sem fraturas.

O casal foi socorrido ao Hospital Regional de Sousa pelas Equipes do SAMU e Corpo de Bombeiros que estiveram no local para atendimento de urgência.



Guarnições da Polícia Militar do 14º BPM estiveram no local para isolar área até a chegada do
GEMOL.
ReporterPB 


Jogador de futebol é preso com 5kg de cocaína em Managbeira

A Polícia Militar da Paraíba realizou a prisão de um jogador de futebol profissional na tarde deste domingo (24) em Mangabeira, bairro de João Pessoa, por tráfico de drogas.
O acusado estava em posse de cocaína e uma balança de prisão. As autoridades, então, o acompanharam até a sua casa, onde foi encontrado mais droga e outra balança.
Ao todo, cinco quilos do entorpecente em formato de tablete foram apreendidos e dois celulares. Todo o material e o detido foram encaminhados para a Central de Polícia, no Geisel.
O suspeito afirmou que seria apenas a "mula", fazendo o transporte da droga de Mangabeira até Campina Grande, onde seria comercializada durante os festejos juninos na cidade.
De acordo com jovem, ele joga atualmente no Bom Esporte, de Guarabira, mas está parado no momento por conta da Copa do Mundo. Ainda segundo o jogador, ele já atuou pelo Auto Esporte e pelo Guarabira.
Imagem ilustrativaImagem ilustrativa

Yves Feitosa/Marco Antônio, o Águia


Polícia prende suspeito de usar agulha durante tentativa de assalto na PB


A Polícia Militar conduziu para a delegacia um homem suspeito de tentar realizar um assalto e que utilizava uma agulha de seringa para ameaçar suas vítimas. A ação aconteceu na madrugada deste domingo (24), em Campina Grande, em uma pousada na rua por trás da Rodoviária Velha, no Centro. O suspeito foi detido pelo dono do estabelecimento.
Por volta das 02h40, policiais do 10º Batalhão foram informados de um roubo em andamento a um estabelecimento e, na abordagem, localizaram o suspeito, que já havia sido detido pelo proprietário do local. Segundo informações repassadas aos policiais que atenderam ao chamado, o suspeito vinha do Parque do Povo, estava embriagado, tinha tentando hospedagem em outra pousada, mas como não conseguiu, chegou a essa última e anunciou o assalto.
O homem, de 29 anos, já responde a dois processos por furto e dano ao patrimônio, mas estava em liberdade. Durante a ação, o suspeito foi detido e a agulha que era utilizada para o crime foi localizada. O dinheiro que seria levado também foi recuperado. Vítima e o suspeito foram conduzidos para a Central de Polícia. O material apreendido será analisado.
Secom-PB 


Chega a 49 o número de pessoas feridas por agulhadas em Campina Grande


De acordo com o Hospital de Trauma de Campina Grande, 49 pessoas foram atendidas após relatarem ter sido vítimas de agressões com objetos perfurantes semelhantes à agulha, sendo 44 no Parque do Povo e cinco no bloco junino, entre sábado (9) e domingo (24). Ao todo foram trinta homens e 19 mulheres.

Paraiba.com.br com assessoria


Villa Sanhauá incentiva vivência do espaço urbano no Centro Histórico


A história da cidade de João Pessoa registrada nas ruas, praças e paredes de cada um dos cerca de 700 imóveis existentes no Centro Histórico da Capital será vivenciada mais de perto, com toda a dinâmica urbana que hoje a ‘Cidade Antiga’ comporta, pelos contemplados com o Residencial Villa Sanhauá, que será entregue pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) na nesta terça-feira (26).

Mesmo com o crescimento da cidade em direção à orla, o Centro Histórico resiste ao tempo com uma dinâmica comercial forte, abrigando diversos estabelecimentos da área mecânica e elétrica, madeireiras, construção civil, serviços diversos e até mesmo lojas de decoração. O cenário cultural também tem espaço no perímetro de mais de 36 hectares de pura beleza de imóveis no estilo Barroco e Art Decó. É nesse contexto urbano que foi pensado o Villa Sanhauá, para vivenciar a cidade e fazer parte dela, como explica a diretora de Planejamento da Secretaria Municipal de Habitação de João Pessoa (Semhab), Glauciene Almeida.

“A partir do momento em que se reúne, em um mesmo local, habitação, comércio e serviços, cria-se um fator essencial para a dinâmica daquele espaço. A ocupação dos imóveis que compõem o Villa Sanhauá, antes desocupados em degradação, por pessoas ligadas à cultura local é outro ponto importante para o uso adequado do Centro Histórico, tanto para a população local quanto para os turistas”, detalhou a representante da Semhab.

Quem foi contemplado no Villa Sanhauá destaca a importância do projeto. O músico Preto Netto, que vai comandar a Casa do Samba JP falou do espaço para a cultura local. “Hoje há luz aqui. AVilla Sanahuá esta abrindo um espaço imenso para a cultura local”, comemorou.

Já Andréa Libard destaca a união de moradias com comércio e cultura. “A revitalização vai ter vida constante. Ela não vai ter vida só no fim de semana”, disse, ressaltando a expectativa de morar no Villa Sanhauá. “Estamos muitos felizes. Está tudo muito lindo”.

O projeto do Residencial Villa Sanhauá foi todo elaborado por uma equipe técnica da Semhab e aprovado pelos órgãos de proteção ao Patrimônio Histórico. Glauciene Almeida lembrou ainda que o estilo arquitetônico dos casarões foi preservado e algumas adaptações foram feitas para que tanto os proprietários dos imóveis quanto quem for usufruir dos serviços que serão ofertados em alguns deles, possam aproveitar os ambientes.

“As moradias são o grande diferencial, pois o Centro abriga, em sua maioria, comércios, tornando seu uso obsoleto no período da noite. O Villa Sanhauá vem reavivar essa parte da cidade e é preciso que todos nós façamos uso. Para que os comércios, serviços e passeios fossem utilizados com certo conforto, a calçada foi alargada se tornando um espaço de vivência para seus usuários, por exemplo”, destacou.

Cultura – Na seleção dos contemplados com as unidades do Residencial Villa Sanhauá foram escolhidas as pessoas que desenvolvem iniciativas da área cultural para tornar aquele espaço mais um ponto de cultura da cidade na área do Varadouro. A medida é mais uma ação de fomento à produção cultural da cidade, que tem sido reforçada com o AnimaCentro.

Por meio deste projeto tanto os moradores da região do Centro e do Varadouro, quanto de outros bairros da cidade e ainda os turistas têm a oportunidade de vivenciar a cultura que é feita em João Pessoa. De sexta a domingo são realizadas várias intervenções, com apresentações de teatro, circo e shows no Hotel Globo, Praça Rio Branco e Praça da Independência, Pavilhão do Chá, Casa da Pólvora, além do Parque da Lagoa.
Secom-JP 


Prejuízos para os comerciantes: Vazamento de reservatório acaba com milhos do Mercado Central


Além do vazamento de água causado pelo rompimento do reservatório da Cagepa na tarde deste domingo (24), o comércio de milho também foi prejudicado pela inundação. No Mercado Central de João Pessoa, uma grande quantidade do produto flutua sobre a água.
Em um vídeo que circula pelas redes sociais, os comerciantes tentam recuperar o alimento mas a grande maioria é levada pela correnteza. Nas ruas adjacentes também é possível ver grande volume de água.
Em nota, a Cagepa afirmou que já instaurou uma comissão de técnicos para investigar as causas do incidente. A normalização do serviço só deve acontecer no final desta semana, até lá, os bairros  de Jaguaribe, Centro, Varadouro, Róger, Tambiá, Alto do Céu, Salinas Ribamar, Porto de João Tota e Vem-vém vão ter o abastecimento parcialmente interrompido.
Confira nota na íntegra:
A Cagepa comunica que a parede de um dos reservatórios apoiados do R-1, localizado na Avenida Diogo Velho, na Capital, rompeu por volta das 13h deste domingo (24). Apesar do impacto do incidente, foram causados apenas danos materiais.
Em virtude do incidente, o abastecimento d’água nos bairros de Jaguaribe, Centro, Varadouro, Róger, Tambiá, Alto do Céu, Salinas Ribamar, Porto de João Tota e Vem-vém precisou ser interrompido.
Técnicos da Cagepa já estão trabalhando no local para retomar parcialmente fornecimento de água nas áreas afetadas.
Enquanto os serviços estiverem sendo executados, neste período, o abastecimento de água nessa região funcionará de forma intermitente, ocasionando interrupções temporárias.
A previsão é de que normalização total do sistema ocorra até o final desta semana.
Por determinação da diretoria, a Cagepa já instaurou uma comissão de técnicos para investigar as causas do incidente.
Mais informações sobre os serviços executados pela Cagepa podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 115, que agora também atende ligações de celular
MaisPB 


Por conta de rompimento em reservatório, vários bairros da Capital estão sem água

Em comunicado enviado à imprensa na tarde deste domingo (24), a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), afirmou que o rompimento de um dos seus reservatórios localizados em João Pessoa causou apenas danos materiais e informou que o acidente prejudicou o abastecimento de água em diversos bairros da capital paraibana. 
Confira texto na íntegra: 
A Cagepa comunica que a parede de um dos reservatórios apoiados do R-1, localizado na Avenida Diogo Velho, na Capital, rompeu por volta das 13h deste domingo (24). Apesar do impacto do incidente, foram causados apenas danos materiais.
Em virtude do incidente, o abastecimento d'água nos bairros de Jaguaribe, Centro, Varadouro, Roger, Tambiá, Alto do Céu, Salinas Ribamar, Porto de João Tota e Vem-vem precisou ser interrompido.
Técnicos da Cagepa já estão trabalhando no local para retomar parcialmente o fornecimento de água nas áreas afetadas.
Enquanto os serviços estiverem sendo executados, neste período, o abastecimento de água nessa região funcionará de forma intermitente, ocasionando interrupções temporárias.
A previsão é de que normalização total do sistema ocorra até o final desta semana.
Por determinação da diretoria, a Cagepa já instaurou uma comissão de técnicos para investigar as causas do incidente.
Mais informações sobre os serviços executados pela Cagepa podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 115, que agora também atende ligações de celular.

Yves Feitosa


Mauro Carlesse é eleito governador do Tocantins para o mandato-tampão


Mauro Carlesse (PHS) está eleito governador do Tocantins. Com a apuração encerrada, o presidente da Assembleia Legislativa e governador interino teve 75,14% dos votos válidos contra 24,86% de Vicentinho Alves (PR). Ele recebeu a informação em Gurupi, onde acompanha a apuração.
"Eu entendo o seguinte: que o pouco que nós trabalhamos, que nós tivemos a oportunidade de trabalhar e fazer o estado atender a nossa população, o resultado é esse. A população entendeu que quando você cuida da saúde, da educação, da segurança pública e da infraestrutura o povo agradece. E isso aí é o que está acontecendo", disse o governador eleito após a vitória.
Carlesse vai ficar no cargo até o dia 31 de dezembro e pode concorrer à reeleição em outubro. A posse deve ser realizada até o dia 9 de julho.
Apesar de eleito com a maioria dos votos válidos, o dia foi de seções vazias e poucas filas em todo o estado. O número de abstenções, votos brancos e nulos somou 51,83% do total de eleitores. Mais de 527 mil pessoas não optaram por nenhum dos candidatos. O índice é recorde na história das eleições no estado e ultrapassa o total de votos dos dois candidatos.
A eleição suplementar foi convocada após a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice dele, Cláudia Lelis (PV). Os dois foram considerados culpados por captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral de 2014 pelo Tribunal Superior Eleitoral.
O senador Vicentinho Alves reconheceu a derrota. "Eu tenho que admitir o resultado das urnas. Eu sou um democrata", disse ele. "Eu quero agradecer aos 120.853 eleitores e eleitoras do meu estado. Foram os votos mais livres que um político pode receber", comentou.
G1 


Tubarão martelo de 2 metros é morto em praia do Nordeste

Um tubarão martelo com cerca de dois metros foi capturado e morto por mergulhadores, na região da praia de Armação, em Salvador.
O caso aconteceu na sexta-feira (22). Os mergulhadores, que não tiveram identidade revelada, disseram à equipe de reportagem da TV Bahia que se assustaram com o animal e atiraram com o arpão.
O tubarão foi retirado da água e colocado em uma calçada, enquanto os mergulhadores filmavam a ação.
Matar tubarões e outros animais silvestres é crime ambiental previsto por lei. Além da pena, que pode chegar a um ano, há multa para quem comete o delito. A polícia informou, na manhã deste domingo (24), que não foi chamada para atender ao caso.
O G1 entrou em contato com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), para saber mais detalhes sobre o caso, mas o Inema não tinha informações.
G1 


Artístico, sensual ou provocativo: Como as famosas lidam com seus nudes?

Virou moda exibir o corpo em redes sociais e, no caso de algumas famosas, menos (roupa) é mais. Veja como algumas celebridades usam os "nudes" para passar seus recados!

  • Nude artístico

    Bruna Marquezine aderiu à onda dos nudes. Com uma pegada artística, o clique é sóbrio e busca transmitir uma sensualidade mais recatada. A imagem em preto e branco ficou ainda mais artística com a legenda: "Breathe" (respirar, em inglês). Podia ser um quadro, não é?
  • Nude da afronta

    Letícia Birkheuer "desafiou" a política do Instagram, que proíbe a publicação de mamilos, e apareceu só de calcinha com os seios à mostra. Ela teve a foto apagada e voltou a postá-la, dessa vez com uma estrelinha. "Não devemos ter vergonha do nosso corpo. Depois de engordar 27 kg na gravidez, achei que nunca mais faria fotos sem roupa. Beleza natural."
  • Nude da separação

    Luciana Gimenez havia terminado o seu casamento com Marcelo de Carvalho recentemente e fez o quê? Postou uma foto apenas de toalha. É muito comum ela ousar em suas redes sociais, seja com cliques antigos seja com atuais. Aos 48 anos, a apresentadora adora provar que está com tudo em cima
  • Nude de protesto

    A nudez também pode ser uma arma de protesto. Fernanda Young disparou seu nude para propagar o amor em foto publicada na última Parada Gay. Em um clique de Bob Wolfenson, ela aparece pra lá de sensual com a modelo Raquel Zimmermann. Na legenda, a escritora citou a letra de "All You Need Is Love", dos Beatles.
  • Nude no vaso

    A atriz Maria Flor revelou o momento de maior intimidade do ser humano e postou uma foto sentada no vaso sanitário, sem as calças. Maria escreveu na legenda as várias definições do dicionário para a palavra flor, neste caso, no vaso.
  • Nude hors concours

    Se deu na telha, Cleo Pires vai lá e faz. Quase todo mundo sabe que ela não tem vergonha de (quase) nada --e prova disso é a ousadia da primogênita de Gloria Pires. Em matéria de sexo, ela já deu declarações de todas as suas preferências e fantasias. É claro que o corpão entra no jogo e, em suas redes sociais, não faltam imagens com pouquíssima roupa.

UOL 


PROXIMA → INICIO

Editorial